Cervejaria lança kit com quatro IPAs Single Hop em edição limitada

};?>

 

A Dama Bier apresenta um lançamento sob medida para quem gosta de degustar cervejas, para IPA lovers e para curiosos em geral. A cervejaria de Piracicaba (SP) partiu da base de maltes da Indian Lady, sua IPA clássica, para criar o kit com quatro rótulos diferentes, cada um com um único lúpulo.

Read the rest of this entry »


Comemore o dia do sorvete!!

};?>

 

Hoje, 23/09, além de ser o segundo dia da primavera, também é comemorado o dia do sorvete. E se tem algo que merece ser celebrado é ele. Eu, que não sou do de doce, que dispenso as mais elaboradas sobremesas, sou incapaz de resistir a um gelado.

Read the rest of this entry »


Uma pitada de Reportagem: Fraldinha, uma criação do mestre Marcos Bassi

};?>

 

Pode se dizer que a Fraldinha como conhecemos e consumimos é uma invenção brasileira. Foi o infelizmente falecido mestre em carnes Marcos Bassi quem descobriu o corte. Como ele mesmo gostava de dizer “quem criou foi Deus, eu só encontrei”.

Conhecida na França como Bavete, Bassi descobriu a Fraldinha em 1967. A pedido de uma senhora francesa cliente do seu açougue, ele sempre preparava o corte até então desconhecido dos brasileiros. Até que o açougueiro decidiu preparar a carne assada e serví-la no balcão do açougue fatiada em sanduíches temperados com vinagrete. Sucesso absoluto. O amor pela Fraldinha foi tanto que com o tempo Bassi conseguiu promovê-la à carne nobre de churrasco, um hábito exclusivo dos brasileiros. Nem mesmo a França consome assim.

A Fraldinha vem da ponta carnuda da costela minga, próximo à perna traseira do boi, uma parte pequena do abdômen. O nome é um apelido dado devido à localização do corte. Ao lado da virilha do animal. Na França é chamada de bavette d’aloyau (francês), mas também recebe o nome de vacio (no espanhol) ou thin flank (em inglês).

As peças têm geralmente um quilo, com uma altura de três centímetros no começo e afinando do meio para o fim. É protegida por uma camada de gordura externa, se mantendo magra no interior, praticamente sem marmoreio. Mesmo assim graças a boa irrigação sanguínea é macia e, se preparada corretamente, fica extremante suculenta.

O sabor é sutil, e sua melhor performance é no churrasco. A dica não levar  a carne muito gelada ao fogo  e assá-la inteira e compactada no espeto para evitar o ressecamento.  Também fica bem ao fogão em ragus, braseados e ensopados. Mas para Bassi e seus seguidores, isso seria um desperdício.

Receita: Churrasco de fogão (Fraldinha na frigideira)

 


Para conhecer e beber: São Paulo tem opções de tour cervejeiro

};?>

 

 

Os recém-criados Roteiro da Cerveja e Sampa Beer Tour são aqueles passeios ideais para quem gosta de cerveja e faz o tipo curioso. Na capital ou no interior e cada um à sua maneira, ambos oferecem entretenimento, conhecimento e – claro! – muita degustação.

Read the rest of this entry »


Receita: Churrasco de fogão (Fraldinha na frigideira)

};?>

 

Se você como eu mora num apartamento sem varanda gourmet (cof) ou espaço gourmet (cof de novo) coletivo, mas ama churrasco vai gostar dessa receita.  A ideia é fazer uma carninha que lembre o preparo na brasa, mas no fogão. Para isso, usaremos uma boa fraldinha, meu corte bovino favorito. É magro e ainda assim suculento  e saboroso, além de muito versátil pois se presta à panela, à brasa e ao forno. Lá em baixo, conto um pouco da história da Fraldinha na Pitada de Reportagem.

Read the rest of this entry »