uva_branca_

* por Jéssica Marinzeck

Quem nunca abriu uma garrafa de vinho e um aroma inebriante tomou conta do local mesmo antes de servi-lo? Pois é, algumas uvas são naturalmente mais aromáticas do que outras e encantam a qualquer um. Elas são boas apostas para o enófilo amador já que as mesmas deixam muito claro, para o que vieram.

Hoje, focaremos nas castas aromáticas brancas.

Esses vinhos produzidos com uvas aromáticas podem variar de doces a secos, encorpados ou mais leves, com texturas diferentes, enfim, sempre haverá um estilo que irá lhe agradar. Um ponto interessante sobre esses vinhos, é que dificilmente eles passam por barricas pois a madeira pode justamente apagar esses aromas apaixonantes e naturais.

Vamos a elas:

Muscat – Essa talvez seja uma das mais aromáticas e a encontramos na composição de muitos espumantes como o italiano Asti e alguns nacionais. Ela também é conhecida como Moscato.

Gewurztraminer – Super perfumada. Apresenta notas de flores brancas, rosas e lichia. Gera vinhos com bom corpo e pouca acidez. Destaque na produção para Alsace, na França e a Nova Zelândia.

Riesling – Uma mutante. Pode vir em versões secas e mais leves, como também em vinhos doces inesquecíveis. Quando envelhecida possui um aroma único de gasolina. Alemanha, Austrália e Nova Zelândia chamam a atenção na produção.

Viognier – Produz vinhos mais robustos, com notas florais e de pêssego. É a rainha no norte do Rhône, na França, mas tem apresentado bons resultados no Chile.

Alvarinho (Portugal) Albarino (Espanha) – A mesma uva com características diferentes em ambos os países. Possui acidez alta, notas florais e minerais. A versão espanhola é mais encorpada.

Torrontés – A uva branca símbolo da Argentina, encontrada em abundância na região de Salta. Aromas florais intensos são encontrados em vinhos produzidos com essa uva, variando de secos a doces.

Sauvignon Blanc – Quando vinda de regiões como a Nova Zelândia e o Chile, apresenta notas muito marcantes de goiaba, maracujá e grama, além de ter uma acidez elevada natural.

Vinhos produzidos com uvas aromáticas são ótimos para serem servidos sozinhos, com uma entrada ou para harmonizar com aquelas receitas mais perfumadas, como por exemplo a cozinha Indiana, Baiana e Tailandesa que também apresentam uma coleção aromas, entre eles os de especiarias.

Vinhos brancos podem ser muito complexos e quando você cair nas garras dessas belezuras, é capaz de até se perder no caminho e optar mais por eles do que os tintos!

Até o próximo, tchau!

* Jéssica Marinzeck  “Sommelière Certificada pela Court of Master Sommeliers, na Europa e nível 3 na WSET de Londres. Comecei minha experiência com vinhos na Europa e hoje sou Coordenadora de Compras do site Evino. Sou criadora do ‘O Canal do Vinho’ no YouTube e lanço esse ano meu primeiro e-book o ‘Básico do Vinho’.”

Facebook Comments

Nas Categorias: Bebidas, Colunistas, Vinho