20120821_triciavieira_ingredientes_CHRO1271-300x200

 

Primeiro, apresentações. Meu nome é Emerson Rezende, tenho 41 anos, sou jornalista há 10 e passei boa parte desse período falando de tecnologia. E sendo bem sincero, só fui aprender a cozinhar há pouco mais de 4 anos.  Desde então, não parei mais.

Descobri que é muito gratificante comer o que eu mesmo cozinhei (fora que é muito mais barato do que ir a restaurantes). Mais ainda quando outras pessoas me acompanham em uma empreitada alimentícia. Mesmo depois vários acidentes  que incluem cortes nos dedos e até uma bela chamuscada na minha barriga por conta de uma fritada mal calculada…
Depois da paixão, veio o interesse e o aprofundamento. Pois é, a ordem não está errada. Primeiro, me apaixonei pelo assunto culinária para em seguida me dedicar a me informar acada vez mais pelo assunto. E foi aí que percebi que há muito tempo estava levando à boca muita coisa que nem sabia de onde vinha nem como era feita/fabricada/elaborada.
E que por conta dessa falta de informação sobre nutrição, muitas vezes (senão sempre?) me alimentava de uma maneira bem errada. Estava mais preocupado em matar a fome do que me manter nutrido. Mas foi em meados do semestre passado, quando minha mulher pesquisava as opções de dietas saudáveis pelo mundo virtual afora, que me apaixonei de vez pela nutrição (Ka, esta coluna é dedicada a você). E foi aí que minha chama se acendeu… pelas panelas, tigelas, cebolas, pimentões e afins… :)
E para os que dizem não ter tempo para cozinhar: você não desperdiça tempo no fogão. Com as dicas desta coluna e as receitas do Sem Medida, esse investimento vai voltar em forma de mais sabor, saúde e alegria para a sua vida ao saber que você, sua família e amigos comeram algo gostoso e, principalmente, nutritivo.
Claro que não deixei de comer fora. Porém, ao aumentar meu conhecimento sobre o que eu como (incluindo o preço que meu corpo vai pagar pelos excessos), passei a escolher melhor o que comer. Com isso, além de aumentar minha satisfação glutona, percebi que o corpo responde rápido quando é melhor tratado.
Foi aí que me dei conta que a comida também tem o seu lado “nerd”. Só o processo de digestão em si já é altamente complexo. E como cada um de nós é um ser único, não existe uma dieta ou alimento que caia bem em todos os estômagos. E o que há de mitos relacionados à alimentação por aí…
Por outro lado, sempre haverá uma comida feita sob medida para você, capaz de não apenas matar a fome mas nutrir o corpo a ponto de fortalecer suas defesas contra infecções. Ou mesmo turbinar seu desempenho físico, e por aí vai…
É por isso que pretendo trazer para você informações que ando garimpando por aí sobre nutrição, boas práticas na cozinha, além de dicas de alimentação saudável. Tudo para que você se torne capaz de montar um cardápio para chamar de seu.
Alimentopia é a busca pela refeição perfeita – mas sempre dentro do possível. Uma deliciosa tarefa para a vida toda.  Porque mais do que comer bem, você deve se nutrir.

A propósito, o título deste post não é meu e sim de Hipócrates, pai da medicina ocidental. Um cara espertíssimo que viveu por volta de 460 A.C lá na Grécia.

Facebook Comments

Nas Categorias: Blog, Colunistas