Eu não amo maionese, eu tenho fé. Sou devota fervorosa do Sagrado Coração da Emulsão a Frio. E acredito que quase todos os problemas podem ser resolvidos com uma boa nuvem a base de gema e gordura.

Por isso, nesse #tbt trago aqui os mandamentos da boa maionese. Tudo isso para tentar converter você, ser errante mundano, a largar essa vida herege dos molhos industrializados e se converter à nossa sagrada congregação.

Confesso que já errei muito o ponto da maionese. Chorei, sangrei, lutei, mas perseverei. Hoje, sei que tem como minimizar as chances de dar errado e até como corrigir caso ela desande. Então vem neném, que vai valer a pena.

  • Use ovos frescos SEMPRE e em temperatura ambiente
  • O elemento ácido é essencial: 1 colher de vinagre por gema
  • Já o óleo entra o quanto for necessário para formar a nuvem
  • Coloque o óleo SEMPRE aos poucos, se colocar tudo de um vez, pode não dar tempo de incorporar ar e formar a emulsão
  • Mostarda sempre: no mínimo 1 colher de sopa de Dijon vai deixar sua maionese magnânima
  • Se desandar, não arranque os cabelos. Pegue uma nova gema e recomece o processo e depois que a emulsão se formar vá juntando a maionese “desandada” aos poucos à nova emulsão. O máximo que vai acontecer aqui é você ter que distribuir maionese para os vizinhos e se consagrar na sua paróquia
  • Comece só com um salzinho, para não errar. No final, se necessário, acrescente mais.
  • Inove! Depois que você acertou o ponto, o resto é alegria. Coloque o que você quiser na maionese: picles, conservas, ervas, especiarias, vale tudo (no stories vou colocar links para molhos com essa base)
  • Na França dizem que a maionese só está no ponto quando se consegue equilibrar um pilão em pé no meio da mistura
  • Não armazene maionese caseira por muito tempo. Como leva ovo cru, o risco de contaminação é grande.
Confira o passo a passo da maionese caseira

 

Facebook Comments

Nas Categorias: Blog, Tecnicas de cozinha e ingredientes