Caso alguém que lê esse humilde blog ainda não saiba, eu amo coxinha. Tanto que me atrevo a passar horas na cozinha só para fazer o trabalhoso petisco. Minha coxinha é boa por dois motivos: 1 – eu quem faço. 2 – faço do meu jeito e do meu gosto. Por isso, e só por isso, ela é a melhor coxinha do mundo segundo eu. Não entendo gente que não gosta da própria comida, é tipo sair de casa com uma roupa horrível que você mesmo colocou. Se você não sabe se agradar ao fogão, trate de aprender. Assim como aprendeu a se vestir e escovar os dentes. Olha lá a receita e veja com passo a passo que você vai entender o que estou dizendo.

Mas como eu faço coxinha só na passagem do cometa Halley, você dificilmente vai prová-la (até porque ela não está à venda). Por isso, selecionei as melhores da cidade para esse top 5. Claro que isso é uma opinião geograficamente restrita (afinal, não provei todas as coxinhas de uma cidade com mais de 11 milhões de habitantes e mais de 1,5 mil quilômetros quadrados). Por isso, se souberem de alguma coisa bacana ai na sua área, deixe seu comentário.

 

Top 5: As melhores coxinhas de São Paulo 

 

1 – COXINHA DE GALINHA CAIPIRA DO ATTIMO
Poderia ser uma coxinha gourmet, mas é só incrível mesmo. É feita como se deve. A massa de trigo e caldo de galinha (de verdade, claro), é bem cozida e por isso, fica fininha e saborosa. O recheio é molhadinho e bem temperado com alho, cebola e cheiro verde. Sem essa mania de catupiri, que me incomoda mais que agrada. O tamanho é perfeito porque permite que você coma muitas!  Aqui tem a receita, caso você queira se arriscar.         

Restaurante Attimo
Rua Diogo Jácome, 341, São Paulo, SP
Tel.: (11) 5054-9999 

 

2 – COXINHA DO VELOSO
Ela é tudo que eu espero de uma coxinha. O recheio é farto e cremoso (o catupiri, que não é meu forte, vem misturado ao frango). A casca é dourada e levemente crocante. É feita de com massa de trigo (minha preferência) super bem cozida e trabalhada na manteiga.  Aqui tem a receita, mas é um versão para o cinema. A original vendida no bar ele não divulgam nem sob tortura chinesa.

Veloso Bar
R. Conceição Veloso, 56, São Paulo, SP
Tel.: (11) 5572-0254

3 – COXINHA DE MANDIOQUINHA DO FEED FOOD 
Prefiro coxinha com massa a base de farinha de trigo. Mas nesse caso, a mandioquinha (batata salsa/batata baroa) além de deixar a massa amarelinha, dá um toque adocicado que contrasta bem com recheio.  Também é leve e bem temperadinha.    

Feed Food
Rua Artur de Azevedo, 517, São Paulo, SP
Tel.: (11) 4305-7727

4 – COXINHA DO MARCELINO PAN Y VINO
Combina na massa farinha de trigo e batata. Mas a graça mesmo dessa coxinha está no recheio temperado com curry e noz-moscada.   

Marcelino Pan y Vino
Rua Girassol, 451, São Paulo, SP
Tel.: (11) 3034-0461

 

5 – COXINHA DO BABY FRUTA
Essa é a clássica coxinha de buteco. Grande, mas tão grande, que precisa de um palito para firmá-la. Vale por um almoço. Daquelas sem frescuras, até tem a opção com catupiri (genérico), mas a boa mesmo é a de frango, ponto. Cai super bem com molho pimenta de garrafinha. Eles costumavam fritar duas levas no dia: uma bem cedo e outra na hora do almoço que desparecem rapidamente do balcão (o que comprova seu valor). Claro que não existe um site, mas  o Chef à Porter fez um post bem bacana sobre o Baby Fruta.

Baby Fruta
Av. Paulista, 683, São Paulo, SP
Tel.:  (11) 3288-2575

 

Cerveja Sugerida: Stone Arrogant Bastard Ale

Essa eu tomei recentemente. Indicação do Paulo, do Empório Sagarana, que disse: como não tomar uma cerveja chamada Stone Arrogant Bastard Ale Coloração?  E ele tem toda razão. Não só o nome é bom. Essa é uma excelente Ale, âmbar, translúcida, linda. No aroma, lúpulo intenso e marcante, inclusive no retrogosto. Mas incrivelmente equilibrado com o dulçor do malte quase caramelado. Acompanha bem os temperos da coxinha fazendo um bom par para a friturinha crocante.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Facebook Comments

Nas Categorias: Blog, Onde comer e comprar