Finalmente os queijos artesanais brasileiros ganharam um espaço a altura de sua qualidade: a Queijaria, que acaba de inaugurar em São Paulo.  Além de ser uma fromagerie – loja especializada em queijos artesanais de leite cru,  trabalha exclusivamente com queijos 100% brasileiros feitos de leite cru. Um passo importante, já que São Paulo é a meca do queijo pasteurizado graças à rigidez da legislação estadual para os queijos brasileiros.  

Raramente indicamos produtos e serviços aqui no Sem Medida. A regra é só falar do que acreditamos e consumimos. É justamente esse o caso da Queijaria, que ontem eu tive a oportunidade de visitar para fazer uma reportagem do UOL Comidas e Bebidas

Depois de uma hora de papo com o proprietário Fernando Oliveira, já conhecido da Alimento Sustentável, eu, que fui para entrevistar, saí de lá com uns três queijos. Tinha mesmo que compartilhar a informação aqui. 

Canastra, Araxá, Salitre, Serro, Serrano. Esses são só alguns dos nomes dos queijos disponíveis na casa. Todos esses criados aqui no Brasil nas serras de Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Mas no acervo há também queijos pernambucanos inspirados em clássicas receitas europeias como camembert, gouda, raclete, reblochon e parmegiano.  Dá só uma olhada:

O Araxá, feita na região homônima de Minas Gerais, é meu favorito. Casca grossa por fora, e cremoso por dentro. As letras se referem ao registro do IMA (Instituto Mineiro de Agropecuário). Só para provar que engana-se muito quem pensa que artesanal significa sem fiscalização.

Esse é o Catauá, vem lá da região onde nasceu meu pai, São João del-Rei (MG). A suavidade faz com que a gente queira comer esse queijo o dia inteiro. Parceria incrível com um cafezinho.  

 

Já o Serro, também mineiro (da região que lhe emprestou  o nome), é picante. Com o tempo de cura essa característica fica ainda mais acentuada. Esse alaranjado da foto, tem dois anos. E já pedi o Fernando que quero estar presente no dia da abertura. *sonho*

O queijo Serrano é um orgulho gaúcho, com razão. Feito na cidade de Bom Jesus com leite de gado de corte, tem sabor suave,a docicado, e textura macia, mesmo mais curado

Aaaah, o parmegiano. Com  aquela granulação granulação, secura e sal característicos do estilo.  Lá em Pernambuco ele chama  Tubira

 

Lá em Pernambuca, o raclete suíço, chama Chacrinha. Tem massa cremosa e branca e derrete lindamente. É só raspar

Também o pernambucano, o Petrolina vem do Morbier da França. Essa cor linda vem da marinada no vinho tinto

O  francês camembert foi batizado de hamada de Mandacaru, mas a cremosidade e o sabor intenso estão ali como no original

Do interior de São Paulo, especificamente da cidade de Casa Branca, vem esse o queijo de cabra curado

Eu poderia ficar scroll abaixo falando de queijo sem cansar. Mas há de se ter um limite. Por isso, se você mora ou pretende passar por São Paulo visite a queijaria. caso contrário, acesse o site Alimento Sustentável  e se informe se fazem entrega na sua cidade.     

De quebra, indico o documentário o Mineiro e o Queijo. Ajuda a entender o peso que tem uma loja de queijos artesanais brasileiros na luta dos produtores. Vale a pena.

 

 

 

 

Facebook Comments

Nas Categorias: Blog, Onde comer e comprar