ardei_pimentão_recheado
Nesse fim de ano como eu contei no post anterior, minha família esteve toda reunida. Algo que não acontecia há alguns anos no Natal. E para completar ainda mais o quadro da insanidade consentida recebemos alguns amigos gringos da minha irmã. Na minha casa em SP tínhamos uma polonesa e um casal de romenos. Todos devidamente brancos como a neve, o que transformou meu lar  em uma conferência  da ONU.

E as conversas? Falava-se inglês, espanhol, portunhol, p*nenhuma e mais um pouco. O importante era trocar ideia e quando faltava inglês pra tanto querer,  sempre rolava um “Delícia, delícia, assim você me mata”. Impressionante o poder dessa música sobre os gringos. Um salve para Michel Teló, gênio.

E no meio da loucura idiomática,  o melhor lugar era a mesa.  Como a boca está bem ocupada, todos se entendiam bem comendo.  Suspirar é universal.

E no meio da bagunça fui apresentada a uma receita típica romena: o Ardei umpluţi. Parece palavrão, mas é só pimentão recheado. A princípio fiquei resistente. Pimentão tem aquela fama de indigesto e inesquecível. E de fato pode ser mesmo. Mas nesse caso, apesar de não se tratar de um prato leve, o preparo ameniza bem esse efeito memória do nosso amigo ardei.

ardei_pimentão_recheadoA Gabi, a romena amiga que apresentou a receita, faz um refogado de arroz,  carne moída de porco e tomate para rechear cada pimentão que depois será cozido por imersão em água. Na hora de servir eles cobrem com creme de leite.

Na minha pesquisa sobre o prato, encontrei versões que levam no recheio outras carnes como cordeiro, boi, frango, etc. Por isso, acho que é uma receita que vale personalizar. Dá para tirar o arroz e deixar a coisa mais leve, dá para fazer uma recheio só de legumes (abobrinha, cenoura, berinjela), dá para acrescentar nozes e castanhas. E escolher a intensidade do pimentão pela cor. O amarelo é o mais suave, o vermelho médio e verde, mais intenso, pelo menos eu sinto assim.

E claro, fiz minha versão, que compartilho aqui com vocês.

pimentão_recheado_ardeiReceita: Ardei recheado (pimentão umpluţi)


4 pimentões vermelhos grandes, mas nem tanto
500g de carne bovina moída (vale patinho, coxão duro ou músculo, depende do efeito que você quer)
1 cenoura grande ralada
1 xícara de arroz
4 dentes de alho
2 cebolas pequenas picadas em cubos
Cheiro verde  (salsa, cebolinha, coentro)
Pimenta de bode
Pimenta do Reino
Azeite
4 cebolas pequenas cortadas em quartos
4 tomates (retire a parte de baixo de cada um deles e reserve, pique o resto em cubo)

Preparo
Em uma frigideira aquecida coloque um fio de azeite,  a cebola em cubos e deixe fritar, quando estiver transparente acrescente o alho amassado com a pimenta de bode. Nessa base refogue a carne moída com o tomate picado em cubos. Quando a carne estiver quase cozida acrescente a cenoura e o logo depois o arroz. Deixe cozinhar por uns 5 minutos. Deixe o recheio ao dente, porque o cozimento será finalizado dentro do pimentão.  Falando nele. Limpe os pimentões. Com cuidado, corte o talo da parte de cima fazendo um pequeno orifício por onde você retirará  o miolo com todas as sementes. Com uma tesoura longa, retire os veios brancos na parte interna do pimentão. Mas cuidado para não furá-los.  Com um colher, insira o recheio e depois use o fundo dos tomates para tampar os orifícios. Não lote de recheio como eu fiz, porque ele vai romper durante o cozimento.

Como eu disse, a Gabi cozinhou os pimentões em água. Eu achei por bem assar. Coloquei azeite e vinho branco no fundo do pirex e deitei os pimentões e entre eles as cebolas em quartos. Salpiquei  pimenta e sal, cobri com papel alumínio e levei ao forno por 20 minutos ou até ficarem macios.  Lá na Romênia eles servem com creme (de leite), eu já prefiro só com as cebola e o caldinho do cozimento. O pimentão ficou doce extremamente doce e macio. Sem contar que é um prato que dispensa acompanhamentos.

Coma ao som de “Ai se eu te pego” em polonês.

 

Facebook Comments

Nas Categorias: Pratos Principais, Receitas