Camarão é meu clichê. Eu amo, não nego, nunca. Sempre tenho espaço pra esse crustáceo na minha vida. Acho que fica bom de quase todos os jeitos. Cozido, ensopado, assado na grelha, no risoto, na torna, na empada, na massa, cru ou empanado e frito. Pra mim esse último os politicamente corretos que não me ouçam,  o melhor. O nível de crocância é imbatível, sem contar a textura macia e o sabor acentuado do camarão. Tudo fica evidente nesse preparo. Com a farinha panko, fica ainda melhor.

Panko é a farinha de rosca japonesa, aquela usada para empanar o tonkatsu.  Ela é mais grossa, granulada e mais leve. Deixa o seu empanado agressivamente mais crocante. Originalmente era feita de pão velho, mas hoje, como a nossa “de rosca” é vendida em pacotinhos. Aqui em SP só consegui achar na Liberdade, o bairro japonês. Lá, tem em todos os mercados. Mas acredito que deva ter em outros lugares da cidade. Vale a busca.

O meu eu fiz assim, comprei camarões cinzas grandes, pedi para limpar, mas manter o rabo. Em casa, lavei com água fria e escorri bem. Temperei com um pouco de sal e pimenta do reino, passei na farinha de trigo, para eliminar toda a umidade.

Depois passei na clara de ovo, sem gemas, e por ultimo na panko até que fique bem empanado. Fritei em óleo de canola bem quente.

Servi com um molhinho que leva partes iguais de shoyu, molho de ostra, molho de peixe, azeite, vinagre de arroz, pimenta dedo de moça e cebolinha. E limão, claro. Porque Deus fez o limão, para comer com peixes e frutos do mar, quase sempre.

 

Facebook Comments

Nas Categorias: Entradas e Petiscos, Receitas