Os puristas italianos com certeza dariam de ombros para essa receita. Substituir a batata pela mandioquinha pode soar como afronta a um dos pratos mais tradicionais do Trento: o Gnocchi. Como quase todas as receitas da Itália partem do ingrediente abundante na região, o gnocchi surgiu como forma das batatas se expressarem. E como a região é reconhecida por esse cultura, nada mas justo que ser famosa também pelos seus belos gnocchis.

Mas a batata e o gnocchi italiano terão de esperar (serão muito bem tratados em um futuro breve aqui no Sem Medida). Por hora, ficaremos com o nhoque numa versão bem abrasileirada, já que a mandioquinha – latan que só ela – empresta um amarelo canário à massa.  E para dar ainda mais força à afronta, fiz o favor de acrescentar salsinha à massa. Mas o clichê valeu a pena. Ficou uma delícia.

Em tempo, a mandioquinha – também conhecida como batata baroa ou madioca salsa – é nativa do Andes e foi muito apreciada pela civilização Inca. Como a batata, também é um tubérculo da mesma família da cenoura e do aipo. Mas o seu preço normalmente é mais alto que o do seus primos. Isso porque seu cultivo é bem mais delicado. O sabor adocicado vai bem com carnes vermelhas de sabor mais acentuado (cordeiro). Vale também apostar em molhos à base de queijos mais fortes. Aliás, nem sei dizer quando não vale apostar em queijos.

Voltando à receita. Sempre que tentava fazer esse nhoque sofria com o ponto da massa. A mandioquinha absorve muita água durante o cozimento, logo, é fácil recair no erro de colocar mais e mais farinha para enrolar. Mas com isso o nhoque fica pesado, indigesto e sem sabor. Qual a solução então? Tirar a água da jogada!

Eu consegui fazer isso cozinhando a mandioquinha no microondas. Isso mesmo. Com um daqueles saquinhos próprios para isso. Tem em qualquer supermercado.Se você não tem microondas pode improvisar um cozimento a vapor no fogão de casa. Coloque água em uma panela grande e o vegetal picado em um escooredor de macarrão. Encaixe o escorredor sobre a panela com água e leve ao fogo. O vapor da água vai subir e cozinhar a mandioquinha. Demora mais que no microondas, mas funciona. Outra solução pode ser cozinhar na água normalmente e depois de amassada e misturada com a farinha levar ao fogo para a massa “secar”e dar o ponto perdendo umidade. Como se faz com massa de coxinha.

Na minha receita fiquei bem afim de testar alguns tipos de molhos diferentes e ver no que dá. O primeiro deles o clássico tomate com almôndegas, o segundo um molho de queijo e por último o clássico sugo. Todos valem!  Vamos à receita da massa.

Nhoque de Mandioquinha do Sem Medida

Ingredientes
1kg de mandioquinha
1 colher de sopa de farinha de trigo (talvez um pouco mais)
1 gema
50g de salsinha picadinha bem miúda
Sal  a gosto
1 colher de azeite de oliva

Preparo
Corte a mandioquinha em pedaços pequenos , colocar no saco com uma colher de sopa de água. Não lacre o saco, apenas enrrole sua ponta e faça um furo pequeno em algum lugar para o vapor acumulado sair.  Escolha o modo cozimento do micro. Caso não tenha vá deixando em potência alta e confira o ponto de 2 em 2 minutos até que esteja cozida. Depois de cozida passe pelo amassador ou espremedor de batatas ou use um garfo para amassar. Evite processadores, eles quebrarão o amido e farão em vez de um purê um creme que não chegará no ponto de enrolar.

Acrescente os temperos e a farinha e a gema e misture bem. Depois em uma superfície limpa faça rolinhos com 1cm de espessura e corte com a faca em pedaços de 2 cm. Coloque um panela de agua para ferver e cozinhe os nhoques, a medida que subirem pra superfície retire. Sirva imediatamente com o molho de sua preferência.

Ps.: saca a armonca (almôndega no GO) na foto. Phodástica.

 

 

Facebook Comments

Nas Categorias: Pratos Principais, Receitas