Acompanhamentos

Receita: Pamonha de Panela

Por Larissa Januário em: em: 5 de setembro de 2011
Tags:,

Receita: Pamonha de panela

Ingredientes
6 espigas de milho verde
300g de linguiça fina de porco ou de frango (fritas ou assadas, depende do seu nível de gordice – opcional)
300g de queijo minas meia cura em cubos
100g de manteiga (se quiser mais, é com você)
Pimenta de bode a gosto (ou alguma de sua preferência)
Sal a gosto Cheiro verde a gosto
1 colher de azeite
Alho e cebola (opcional)

Preparo
Como não tem palha na jogada, o preparo é diferente da original onde a pamonha cozinha por imersão num caldeirão com água

fervente. No método tradicional começaríamos ralando as espigas. Mas como essa é uma pamonha de apartamento retire os grãos com uma faca bem afiada. Para isso, coloque a espiga na vertical sobre uma travessa. Com uma faca bem afiada corte os grãos de cima pra baixo. Depois passe no processador, liquidificador ou mixer. O importante é triturar para tirar o suco do milho. Se o bagaço incomoda, coe a massa com um pano limpo ou uma peneira. Reserve.

Em uma panela antiaderente aqueça metade da manteiga com um fio de azeite para 

não queimar. Se quiser pode acrescentar cebola e alho nesse momento e fazer um refogado básico. Coloque a pimenta de bode partida ao meio. Acrescente a massa de milho e cozinhe em fogo baixo mexendo sempre com um pão duro. Deixe no fogo até que a mistura engrosse e mude de cor, do amarelo pálido para um tom mais intenso. Você deve obter uma mistura cremosa, com a textura de um purê. Quanto mais tempo, mais firme ficará. Pouco antes de desligar acrescente o queijo cortado em cubos e as linguiças em rodelinhas. Desligue o fogo e tampe para que o queijo derreta. Salpique cheiro verde e sirva. Sem as linguiças é um ótimo acompanhamento para carnes. Principalmente de porco.  E se você não é chegado em carne essa é para você amigo vegetariano, é só eliminá-las da jogada.

 Uma pitada de reportagem: o ritual da pamonha goiana



9 Comments

  1. Junior disse:

    Só te digo uma coisa: PAMONHA É DE PIRACICABA :P

  2. aline disse:

    ameeeii o post, me deu água na boca..”quando eu quero mais, eu vou pra goiás”!!!

  3. Larissa Januário disse:

    as de fubá são mesmo. :P

  4. Larissa Januário disse:

    podemos fazer no proximo encontro!

  5. Wagner disse:

    Interessante seu post, resume bem o “culto” à pamonha em Goiás. Sou um goiano que mora no RN e posso dizer com categoria: “PAMONHA DE VERDADE: SÓ EM GOIÁS TEM!!!!”
    É claro que só como pamonha qdo vou a GO. A pamonha daqui é muito diferente, o milho é triturado no liquidificador, coado, e no caldo restante (sim pq deixou de ser massa qdo foi coado) colocam leite, açúcar, leite condensado (fica parecendo um curau duro, na palha) ( o gosto é horrível).
    sinto saudades das “festas”, tanto na casa de meus pais, qto na casa de minha avó, qdo era época de milho. todos ao redor de um monte de milho, cortando, catando, ralando, temperando, “embalando”, e colocando para cozinhar numa lata de tinta de 18 litros, em fogo a lenha.
    Sem falar que cada um tinha sua função: criança pequena só podia catar o milho; os maiorzinhos já podiam tirar a palha tb. Os homens tinham o dever de cortar o pé do milho e depois ralar. e as mulheres a parte mais complicada: temperar e colocar nos copinhos!
    Uma verdadeira interação familiar!!!
    Ah, que saudade!!!!!!
    em tempo: aqui no RN uma mão de milho tem 50 espigas! em GO são 60 espigas e ninguém nunca ouviu falar em Balaio (120 espigas) e atio (4 espigas) hehehehehehehe
    Abraço a todos!

  6. [...] Durante as festas juninas os forasteiros ofereciam alimentos derivados do milho: pipocas, pudins, pamonhas, broas, canjicas, curaus e, claro, [...]

  7. [...] boteco em Quirinópolis (GO). Lá pelas tantas, os ébrios exigiram que o dono da casa os servisse pamonhas di sal (salgada), mas o lote do dia era finito. O dono informou aos fregueses “animados”, de [...]

  8. Michelle disse:

    Verdade wagner,estou em São Paulo a 4 meses e já estou louca para voltar a Goiás,povo aqui não sabe fazer uma boa pamonha,só em Goiás mesmo pra ter a melhor pamonha do mundo

  9. Larissa Januário disse:

    Concordo. Em SP as pamonhas são bem fracas. Sempre trago as minhas de goiás.
    bjos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>