Receitas

Pasta e fagioli com sobra de feijoada

Por Larissa Januário em: em: 29 de julho de 2014
Tags:,

 

 

pasta_fagioli_larissa_januario_semmedida

Sabe quando sobra feijoada e já não se sabe mais o que tem ali de tanto que foi pescada? Então, aqui em casa pelo menos uma vez por ano tem essa sobra.  Isso porque tradicionalmente temos a feijuca de aniversário do Gus e convidamos todos os amigos bons de garfo que temos. Faço pelo menos 60 litros de feijão com  porco e tudo que resta é a raspa do tacho remexida.  Quem tem amigo, tem tudo, menos feijoada. 

Mas como raspas e restos nos interessam, especialmente pelo sabor que concentra, nós damos um jeito de aproveitar. Já fizemos bolinho, já fizemos caldinho. Até já reciclamos em uma nova e mini feijuca recorte de cadeia. Mas dessa vez nos superamos com a sobra em um glorioso Pasta e Fagioli.

Como o próprio nome indica, esta é uma receita de origem italiana. Pasta  & Fagioli, pasta e fazool, massa e feijão.  Um prato que tem como base ingredientes simples e baratos e por isso, de presença fácil nas mesas humildes dos camponeses.  Restrito à família, geralmente era acrescido de sobras de carnes como pernil, pancetta, bacon (ou outros defumados), ou simplesmente nacos de ossos,  para dar sabor.

É daqueles pratos que não tem receita certa. Às vezes aparece com tomate e outros vegetais, noutras só com o caldo do feijão encorpado e temperado. Mas a massa sempre deve ser miúda. A mais usada na Itália é o ditalini, que tem o formato de um mini tubinho, ou o chifferini que é um tubinho acotovelado.

Veja os tipos de massa e suas aplicações

Usei Orecchiette, porque era a menor massa que eu tinha em casa. E como é uma receita de reaproveitamento, não faz muito sentido comprar coisas pra agregar. Aliás, nem vale dizer que é uma receita:

– Eu apenas dei uma diluída com água na sobra da feijoada, separei o que restava de carne e desfiei.

– A parcas linguiças que restaram eu cortei em cubos pequenos para ficar proporcional à massa.

– Refoguei um pouco de cebola, talos de cebolinha, e alho em azeite de oliva. Depois juntei a raspa do vinagrete que acompanhou a danada.

– Deixei refogar até secar e juntei a feijuca diluída (é importante que esteja meio ralo o caldo, porque a massa vai engrossá-lo).

– Assim que ferveu, coloquei a massa para cozinhar no caldo. Um minuto antes do tempo de cozimento indicado na embalagem da massa, coloquei a couve picada (que também sobrou da festança).

– Desliguei o fogo, acertei o sal e salpiquei cheiro verde. Pronto! Mangia che te fa bene!

 




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *