Essa receita é antiga, da primeira versão do Sem Medida. Eu criei há uns dois anos, quando participei da primeira edição do Rango Camp, a reunião de blogueiros de comida, em 2010. A ideia do evento é que todo mundo leve ou faça lá uma receita e compartilhe com a geral.

Eu fiz lá o petit gateau de piqui, fora do Goiás, pequi.  Todo mundo sabe que eu amo piqui, como já disse aqui no frango com piqui e aqui na galinhada. E numa ocasião que tive a oportunidade de provar um petit gateau salgado de tomate, feito a partir do purê da fruta, tive a ideia de fazer o mesmo com o piqui. Para minha surpresa, todo mundo gostou.  Surpresa porque piqui não é algo fácil de agradar. Seu sabor forte, peculiar, frutado e marcante jamais passa batido. Sempre que me perguntam com o que parece eu digo “com nada que você já tenha comido”. E geralmente só goiano e mineiro gostam.

Lá no Rango Camp de 2010, eu fiz para acompanhar o petit um mexidão de almôndegas de linguiça artesanal de frango e milho verde e farofinha de pinhão.Tudo bem apimentado, como manda minha filosofia goiana. E mais uma vez, algo que só fazia sentido na minha cabeça, deu certo.

De lá pra cá sempre alguém em pergunta dessa receita, que por motivos técnicos sumiu na transição do blog. Agora, que eu recebi um novo carregamento de piqui com a vinda da família buscapé a SP, fiz a reedição.

O petit gateau de pequi é salgado, aliás piqui não se come como doce, pelo menos não lá no Goiás, a não ser em caso do licor. Ele é bom mesmo é num prato de galinhada ou acompanhando aquele lombinho de porco, ou recheando a pamonha de sal.  No caso do petit você como com o que quiser, frango, carne, e para os vegetarianos, uma boa salada.

Receita de Petit gateau de piqui (pequi)
para 10 porções

Ingredientes

300 g purê de pequi (tem lá no mercadão ou em qualquer supermercado de respeito em Goiás)
150 g manteiga
5 gemas
10 claras
150 g farinha de trigo
1 pitada de sal


Preparo

Misturar o purê de pequi com a gema e adicionar a manteiga derretida (temperatura ambiente). Acrescentar aos poucos a farinha de trigo peneirada e, por último, juntar gentilmente as claras batidas em neve. Mexer até a mistura se tornar homogênea.

Distribuir a massa em forminhas untadas com manteiga e farinha, levar ao forno a 200º por 5 a 7 minutos. O tempo no forno é o mais importante. Se assar muito, vira um bolo e a ideia é ficar com uma casca firme e cremoso por dentro.

 

Uma pitada de reportagem: você conhece o pequi?

 

Facebook Comments

Nas Categorias: Acompanhamentos, Entradas e Petiscos, Receitas