Tem um ditadinho recente que diz “não confie em quem não gosta de coxinha”. Salvo algumas exceções, esse pode ser um bom filtro de pessoas. Isso porque o petisco brasileiro (é, foi inventado aqui, confira lá em baixo a história) é talvez o mais popular do país.  Ali, bem ao lado do pastel. Também pudera! É empanada e frita, ficando cremosa por dentro e crocante por fora. Bem difícil de resistir.

Agora, cá entre nós, dá trabalho. Mas muuuito trabalho pra fazer.  E todo essa labuta serve pra uma coisa: abrir uma janela pra a consciência. Ao se matar fazendo coxinhas, você imediatamente ganha o direito de se enfartar das gordinhas.

Como eu faço coxinhas a cada eclipse solar, decidi registrar a última empreitada (carnaval sem viagem dá nisso) e compartilhar com vocês a minha receita ultimate de coxinha. É boa e dá certo. Bora comemorar o começo oficial do ano com bastante fritura!

Receita de Coxinha

Caldo


Ingredientes

Cebola (2 partes – isso significa 1 medida qualquer)
Cenoura (1 parte)
Salsão (1 parte)
Temperos verdes (a gosto)
Alho a gosto
Louro a gosto
Pimenta preta inteira (a gosto)
Pimenta de bode a gosto (opcional a gosto)
1 colher de chá de extrato de tomate
1 frango caipira inteiro (não vai passar de 2kg, vale do outro também)

 

Preparo

 

Nesse caso, vamos fazer um caldo falso de frango para ser usado como base na massa . Pique a cebola, a cenoura e o salsão grosseiramente. Refogue os legumes já na panela de pressão até “sujar” o fundo. Acrescente o alho inteiro, as pimentas, o louro, os temperos verdes e o extrato de tomate. Misture bem e coloque o frango inteiro, cubra com água, tampe a panela e deixe cozinhar por, pelo menos, 20 minutos depois que começar a apitar.

Depois desse tempo, retire a pressão da panela com um garfo levantando a válvula (ou espere sair sozinha) e ser for muito corajoso coloque em baixo d’água. Verifique se o frango está bem cozido. Com esse tempo ele deverá estar desmanchando. Separe a carne do caldo, coe o caldo e reserve. Desosse o frango e desfie. Reserve.

Recheio


Ingredientes
Cebola a gosto
Alho e pimenta a gosto
Tomate pelado (eu tinha 1 lata)
3 colheres de creme de leite fresco
Cheiro verde a gosto
Fécula de batata ou amido de milho – eu usei 1 colher de chá

Refogue a cebola até dourar, acrescente o alho amassado com pimenta, o frango e depois o tomate pelado. Refogue por mais uns 10 minutos. Para dar cremosidade, pegue uma xícara de chá do caldo de frango coado e dilua nele um colher de chá de fécula de batata (maizena). Misture ao frango e mexa bem por mais uns 5 minutos. Acrescente o creme de leite e finalize com o cheiro verde. Reserve para esfriar.  Vá para a massa.

 Massa

Ingredientes
Cerca de 1 litro(s) litro de caldo de galinha
1/2 barra de manteiga (100g)
Sal a gosto
Salsinha a gosto
Mais ou menos 1 quilo(s) de farinha de trigo

Agora começa o trabalho de fato. Pegue o caldo do cozimento do frango que foi coado lá trás, coloque numa panela de fundo grosso  (fogo baixo sempre) e separe um batedor. Aos poucos vá despejando a farinha de trigo até obter uma massa grossa e bem pesada. Não pare de bater nunca, para não empelotar. Quando estiver bem consistente (nessa hora o batedor já não bastará, você precisará de uma espátula para mexer), coloque a manteiga e continue batendo eternamente, até ficar uma massa bem firme e descolar totalmente da panela. Deixe  esfriar.

Montagem

Ingredientes
Farinha panko (farinha japonesa bem granulada que fica super crocante) ou farinha de rosca
Óleo para untar a mão
Ovos (eu usei só a clara, umas duas)

Coloque o ovo numa vasilha bem aberta e bata para misturar (se usar só clara não precisa nem bater). A farinha coloque em outra.  Unte a mão com óleo e pegue um pouco de massa – a quantidade determina o tamanho da coxinha – eu pego uma colher de sopa.  Agora é como brincar de massinha. Faça uma bolinha, achate e com o dedão vá deixando ela côncava, como uma cumbuca de sopa. Coloque o recheio – considerando uma colher de sopa de massa, uma colher de chá  é suficiente. Cuidado, excesso de recheio faz a coxinha estourar. O segredo é o equilibro entre massa e recheio. Feche as bordas da cumbuca já ameaçando o biquinho da bendita. Enrole com as mãos levemente dando ainda mais forma.  Passe no ovo e, na sequência, na farinha. Repita o processo até o fim da massa.

Calma, depois de muito trabalho,  está chegando a hora de comer. Aqueça o óleo em uma panela não muito rasa, nem muito funda. Para saber o ponto de colocar as coxinha, jogue um fósforo no óleo e fique de olho. Assim que ele acender, está na temperatura ideal. Coloque as coxinhas deitadas, deixe dourar de um lado e depois vire. Eu gosto mais escurinhas. Retire e deixe escorrer numa travessa forrada com papel toalha.  Pronto!

Olha só como fica crocante por fora e cremosa por dentro!


Uma pitada de reportagem: Coxinha, um nobre petisco brasileiro

 


Facebook Comments

Nas Categorias: Entradas e Petiscos, Receitas