Uma pitada de reportagem: Mole, o prato mais querido do México

};?>

Esqueça o chili de carne ou qualquer receita que você tenha comido nos bares e restaurantes mexicanos da sua cidade. A receita mais representativa do México é o Mole. Um molho rico e exótico, que leva mais de 20 ingredientes entre eles pimentas, especiarias, frutos secos, amêndoas e chocolate. É presença garantida sobre o peru, frango e até camarões em casamentos, aniversários e batizados, ou no Natal.

A popularidade do Mole é tanta por lá, que 99% da população do país já preparou o prato pelo menos uma vez na vida, segundo pesquisa realizada pela Mitofsky. Cada um a sua maneira faz a sua receita, algumas bastante diferentes, incluindo o negro, o vermelho (ou colorado), o amarelo, o verde, o almendrado e o pipian.

O Mole tem origem pré-hispânica. Povos os Astecas preparavam para grandes senhores o mulli, que significa guisado ou mistura na língua indígena nahuatl. Um prato completo que podia levar uma centena de ingredientes.  Entre eles o chocolate, que faz parte da história da América Central com registros de cultivo de cacau que datam de 4000 a.c.

No México contemporâneo, a autoria do Mole é atribuída ao estado central mexicano de Puebla. É de lá a receita mais notória do país conhecida como Mole Poblano que pode levar: chocolate em tablete (com ou sem açúcar), cinco variedades diferentes de malaguetas, amêndoas, nozes, passas, cravo, canela, salsa, pimenta, alho, e tortilhas.

Oxaca, estado mais ao sul do país, também tem sua receita de Mole reconhecida. Mas é da comunidade de San Pedro Atocpan, que faz parte do município de Milpa Alta no Distrito Federal do México (a Cidade do México) que vem quase todo Mole consumido na capital. Tanto que 90% da população local, trabalha na produção do molho. Desde de 1977,  esta comunidade promove a Feria Nacional del Mole (Festival Nacional de Mole) todos os anos no mês de outubro.

Ninguém está casando, nem sendo batizado, muito menos comemorando o Natal. Mas decidi fazer o Mole como homenagem ao México e a uma das festas mais lindas do mundo, que acontece lá: Día de los Muertos.

Confira o passo a passo do Mole Poblano

 


Día de los Muertos: a celebre à moda mexicana com a mesa farta

};?>

 

La Catrina, a caveirinha mais popular do Dia dos Mortos (Wikimedia)

Em 2007 eu tive a oportunidade de conhecer a Cidade do México. Especificamente em novembro, quando acontece o feriado do Día de los Muertos (02/11). Talvez uma das mais importantes datas do país e com certeza uma das festas folclóricas mais bonitas do mundo.

Desde 2003, a UNESCO distinguiu a festividade indígena do Dia dos Mortos como Obra Mestra do Patrimônio Oral e Intangível da Humanidade:“… uma das representações mais relevantes do patrimônio vivo do México e do mundo, e como uma das expressões culturais mais antigas e de maior força entre os grupos indígenas do país”.

Uma das caveiras que davam sopa durante a minha visita

Um jeito diferente de ver a morte. A cidade se traveste em cores, alegria e apesar disso, reverência. Caveiras por toda parte, inclusive nos rostos das pessoas em maquiagens, flores amarelas torneando altares repletos de comidas e outras oferendas.  Tudo para homenagear os antepassados. Eles acreditam que nessa data os espíritos vem do outro mundo visitar os parentes. Só mais um traço de uma cultura que me conquistou. Eu amei o México por pura identificação e reconhecimento latino.

A descendência Asteca dá o tom da riqueza histórica cultural presente em toda parte. Numa cidade opressivamente semelhante a nossa São Paulo, mas que trata muito melhor sua memória (lá tem um dos maiores museus de antropologia do mundo). Daí também descende suas tradições, como essa do Dia dos Mortos, que depois do espanhóis foi um pouco catequizada. Mas sem perder la ternura.

La Catrina’ de José Guadalupe Posada, artista mexicano reconhecido por ilustrar 

Aqui também quero prestar minha homenagem à data e aos mexicanos. Com receitinha uma tanto vulgares (pela disseminação do tex-mex) diante da riqueza gastronômica local. C0mo o meu chili com carne (que tem quase mais variações que o estrogonofe) e a famigerada guacamole.

E finalizo com uma receita emprestada do restaurante La Mexicana. O Pan de Muerto: tradicional pão mexicano temperado com chá de flor de laranjeira e anis decorado com massa moldada em forma de ossos e polvilhado com açúcar. Macabro e doce.

 

Confira abaixo as receitas para comemorar o Dia dos Mortos

Mole Poblano

mole_poblano_semmedida_larissa_januario24

Receita de Chili de Carne

 

 

 

Receita de Guacamole

 

 

Receita de Pan de Muerto (Pão dos Mortos)

 

 


Pasta de feijão branco com bacon à mexicana

};?>

 

 

pasta_feijao1

Os mexicanos amam futebol e feijão quase tanto quanto a gente. Mas em se tratando do segundo eles fazem um uso bem diferente do nosso. Lá os frijoles aparecem em molhos (como o chili), em recheios de tortillas, em saladas, purês (servidos no café da manhã, uma herança bem europeia) e até patês.

Não por acaso, o este é um dos alimentos mais importantes do país, ao lado do milho e da pimenta. Na ida ao México comi muito feijão no desayuno, geralmente regando um cremoso tamale (tipo de pamonha mexicana) quentinho.

Aqui, em homenagem ao país que é nosso segundo adversário na copa, trago uma receita inspirada em terras cucarachas. O patê de feijão branco é ideal para coroar tortillas, tacos e sopes (tipo de pãozinho mexicano em forma de disco).   Aqui ele aparece com bacon, pimenta -dedo-de-moça e coentro. Dica ótima para gente ser feliz hoje, na balada Brasil X México.

Receita de patê de feijão branco com bacon (para 4 pessoas)

Ingredientes
200g de feijão branco cozido (você pode comprar já cozido ou cozinhar, nesse caso considere 100g cru)
2 dentes de alho
100g de bacon
2 ramos de coentro
2 folhas de louro
2 pimentas dedo-de- moça (opcional)
sal a gosto
azeite (ou gordura de porco se tiver coragem)

Preparo
Cozinhe o feijão,  com folhas de louro, uma pimenta dedo-de-moça, um dente de alho e sal. Se for usar cozido, pule essa parte.
caldinho_feijao_larissa_januario_semmedida3

Depois de cozido, reserve o feijão com o caldo grosso. Despreze o alho e a pimenta cozidos e amasse o feijão até obter um purê. Frite o bacon até dourar, junte o com o alho restante e frite mais um pouco. Acrescente a massa de feijão e misture bem até pegar gosto e ficar bem firme como um patê.  Finalize com coentro e pimenta dedo-de-moça picadas. Regue com azeite.

pasta_feijão_branco_bacon_sem_medida_leticia_massula

Para manter o clima mexicano:

Receita de Salada Quente de Feijão Roxão

salada_feijao_sem_medida_leticia_massula2

Receita de Guacamole

guacamole_leticia_massula

Receita de Chili de Carne

chilli2_leticia_massula

Receita de Mole Poblano com Frango

mole_poblano_semmedida_larissa_januario24

 


Receita: Mole Poblano com Frango para o Día de los Muertos

};?>

De hoje para amanhã, no México (o meu Brasil lá fora) é comemorado o Día de los Muertos. Uma das festas mais lindas do mundo para mim e para a Unesco. Este ano, eu quis comemorar em grande estilo improvisando um riquíssimo Mole Negro (conheça o prato na Pitada de Reportagem no fim do post).

Read the rest of this entry »


Día de los Muertos: a célebre festividade mexicana que acontece em torno da mesa farta

};?>

La Catrina, a caveirinha mais popular do Dia dos Mortos (Wikimedia)

Read the rest of this entry »