Receita: sopa de carne com tomate na pressão

};?>

 

 

Não adianta torcer o nariz. Se tem uma coisa maravilhosa é sopa. Você junta uns 3 ou 4 ingredientes e pimba! Tem uma refeição maravilhosa, acalentadora, nutritiva, salve salve.  Sem contar que suja só uma panela e pode ir na marmita sem esmorecer no desafio do requente.

Essa semana eu fiz essa de músculo com tomate que é um deleite.  O preparo é simples.

1- Pegue mais ou menos 500g de músculo bovino e pique em cubinhos. Numa panela de pressão (se quiser agilidade), coloque azeite e aqueça. Junte a carne deixa dar aquela dourada.  Tempere com sal e pimenta.

2 – Quando começar e pegar no fundo e escurecer, coloque um copo americano de vinho branco seco. Se não tiver, use cerveja. Se não tiver nem cerveja (que tipo de casa não tem vinho nem cerveja? #brinks), coloque cachaça. Se n ão tiver nenhum álcool, vá de água mesmo.

4 – Junte 1 cebola e 1 cenoura e 3 dentes de alho bem picados. Depois os talos da salsinhas.

5 – Deixe esse refogado fazendo amizade enquanto o líquido seca e a cor fica mara. Rale um pouco de noz-moscada.

6 – Coloque duas latas de tomate pelado. Ou o equivalente em tomates frescos maduros.  E mais 2 medidas da lata de água.

7 – Faça um bouquet garni e junte. Ou coloque a erva de sua preferência e seja feliz.

8 – Tampe e deixe na pressão por 15 minutos contando depois que começar a chiar. Se for na panela convencional, pode levar de 25 a 30 minutos para a carne ficar macia.

9 – Depois destampe e junte as batatas em cubinhos e deixe cozinhar mais uns 5 minutos.

10 – Finalize com ervinhas frescas e seja muito feliz.

DICAS PARA UMA SOPA SOBERANA:

Fazer sopa é tão fácil que vou aproveitar para dar dicas para você nunca mais fazer uma ruim na sua vida. Segue o baile:

1- A base é tudo

Para a sopa ficar boa você precisa partir de uma boa base. Para essa minha de carne escolhi o músculo porque é ym corte rica em colágeno, que deixa o caldo grossinho e muito saboroso. Mas você pode usar frango com osso (só a carcaça já rende uma base incrível), cabeça e espinha de peixe (sim, lide com isso), costelinha… Os ossos sempre ajudam na sopa. Vale também bacon e linguiça, que já são temperados por si só e agregam ainda mais sabor.

Para sopas sem carne, talos de cogumelos. cogumelos secos, feijão, lentilha e outras favas rendem caldos maravilhosos. Casca de queijos também contribuem para deixar caldos grossos.

2 – Refogar é preciso

Cebola, alho, cenoura e talos de salsinha, coentro (ou outras ervas do seu gosto) e especiarias, o importante e fazer aquele refogado moreno, cheiroso e gostoso. Pique tudo, e jogue no azeite quente e vá deixando dourar. Daqueles que faz você repensar se não vale a pena parar a receita por aqui e passar tudo no pão e comer desse jeito mesmo.

3 – Tompero

Sopa não é churrasco. Carece de tempero. Você tem que construir o sabor do caldo se não realmente ficará com gosto de nada. Use ervas no começo e no fim e especiarias também. Alecrim e tomilho, por exemplo, combina com franco e carne vermelha. Coentro vai bem com peixes e feijão. Salvia ama abóbora. Porco aceita todo mundo. Noz moscada ralada na hora levanta qualquer caldo sem graça. Canela também, mas com parcimônia pra não virar sobremesa. Curry dá uma pegada thai e cardamomo te leva pra índia. Ainda temos semente de coentro, pimenta da jamaica, cominho, zimbro.  Afff, vou ter que montar uma texto só pra falar de especiarias.

6 – Hortaliças
Tomate, abobrinha, cenoura, mandioquinha, mandioca, batata, chuchu, abóbora, batata doce, beterraba, esse é o corpo de baile da sopa. São essas fofinhas que darão textura, cremosidade, estrutura, consistência e claro, ajudaram na evolução do samba enredo da sua sopa. A escolha aqui é free style, não tem muita regra. A sopa é sua, inove o quanto quiser.

5 – Cada um no seu tempo

Sabe aquela sopa de hospital em que todo mundo é molengo, inchado e com a mesma textura? Então, a não ser que seja uma sopa processada, para evitar esse horror, você precisa ficar atento ao tempo de cozimento dos vegetais. A regra é bem simples, vegetais que são mais firmes quando crus (batata, abobora, mandioca, cenoura, beterraba, batata doce) levam mais tempo para cozinhar. Já o mais molinhos e úmidos (abobrinha, aipo, chuchu), cozinham bem rápido. Então comece colocando os mais duros e depois os mais moles. O ideal é deixar tudo meio ao dente apara você sentir as texturas. Vagens e ervilhas então bem no final, muitas vezes para cozinhar só no calor do caldo.

6 – E sopa cremosa?
Amo! Você pode mandar ver com creme de leite, leite de coco, leites de amêndoas para dar aquele toque de amor a sua sopa. Mas geralmente, sopas cremosas ficam melhores quando processadas no liquidificador ou mixer.

7 – Carbs, muitos carbs
Em caso de pânico, coloque macarrão. Serião. Uma das minhas sopas favoritas é a de feijão com macarrão. Nem preciso dizer que é melhor optar por massas pequeninas, né? Rizone, Orecchiette, gravatinha. Aqui temos uma lista com algumas massas que vão bem na sopa. 

8 – Cereais e leguminosas

Feijão, lentilha, trigo, cevada, arroz, tudo isso também contribui para que sua sopa seja suprema. Geralmente combinações com esses ingredientes caem melhor no inverno.  Mas aqui tem uma seleção de caldinhos maravilhosos com favas para o carnaval.  


Receita: Caldo Verde de Mandioca com couve manteiga, linguiça e costelinha defumada (sem glúten)

};?>

 

caldo_verde_mandioca_semmedida_larissa_januario

Pois é, eu nem ligo pra esse lance de com ou sem glúten. Aliás, AMO quase tudo que tem: da cerveja à pizza. Mas também amo mandioca. E mandioca não tem glúten. E perto da minha casa tem uma feira fantástica e nesse feira fantástica sabe o que tem?  Um produtor de mandioca. Daquela amarelinhas, macias que nem precisam passar por panela de pressão.

E numa dessas noites frias que andou fazendo eu recebi duas amigues para um gueri gueri. Pra nossa sorte, bem na semana eu tinha ido à feira e comprado mandioca amarelinha. Pronto!

Cozinhei a mandioca na água com sal (não muito porque vamos usar a água na sopa) acrescentei três ripas de costelinha defumada. Depois de bem cozida, dei uma esmagada na mandioca com as costas da colher mesmo. Eu queria um caldo rústico. Mas você quiser mais cremosão é só bater com o mixer (só não esquece de tirar as costelinhas antes de bater).

A parte fiz um refogado com três linguiças artesanais de pernil fininha cortada em rodelas. Para isso basta um frigideira antiaderente, com um fio de azeite. A medida que pegar cor coloque um pouco de água. A água vai evaporar e dar mais cor a linguiça. Quando secou, de novo juntei cebola picada, alho amassado e uma pimenta de bode (pode ser dedo-de-moça).

Quando o caldo estava na consistência que eu queria (nem muito grosso nem muito ralo), juntei o refogado de linguiça (se quiser salve umas para decorar o prato) e mexi bem. Na sequência desliguei o fogo e juntei umas duas mãos de couve manteiga cortada bem fininha e cheiro verde (salsinha e coentro). Decorei com couve fritinha no azeite.  Mais fácil e gostoso impossível. Aliá, é possível se você servir com vinho português da região do Douro.

Olha que belezura!

caldo_verde_mandioca_semmedida_larissa_januario2

 


Receita: Sopa de lentilha, couve, ervilha torta, risoni (orzo) e linguiça

};?>

 
sopa_lentilha_linguica_semmedida_larissa_januario3peq
Vamos voltar à pilantragem. Nem vem de garfo que hoje é dia de sopa. Apenas Simonal define meu inv(f)erno.  Sim, tô repetitiva, mas nesse embalo vou botar pra quebrar pelo menos até setembro. É uma promessa. E uma ameaça! Então guarda seu lugar na fila, que eu vou reclamar! Nem vem que não tem!

Porque tenho lenha pra queimar e  pra virar cinza minha brasa demora! Então vamos de colher e de sopa.  De lentilha, com linguiça e não vacila.

Bora pra receita.

Antes de tudo, vamos pelo que demora mais. Cozinhe a lentilha (1 xícara para dois seres humanos gulosos) com uma folha de louro, 1 dente de alho e 1 pitada de sal, por uns 10 minutos ou até ficar macia, mas firme e íntegra (não é purê). Se deixar de molho uns 40min antes ela fica cozida em menos tempo.

Vai testando, é rápido. Se tens habilidade de controlar duas chamas enquanto a lentilha cozinha, frite a calabresa na própria gordura.

Vai lá Master Chef! Agora pique tudo que deve ser picado.  Você vai precisar de um pouco de habilidade e uma cebola grande em rodelas finas. O mais finas possível. Eu tinha ervilhas tortas, portanto,  fatiei e reservei.

Também separe 1/2 xícara de risoni (ou qualquer massa mini, mini mesmo que você encontre).

Agora refogue a calabresa. A minha estava em rodelas finas, mas pode ser em cubos pequenos e até moída. A ideia é que esteja num formato que ela se integre à sopa.

Use cerca de 1 xícara dela crua ou 1/2 xícara refogada. Junte a cebola à linguiça e misture e deixe no fogo até ela murchar. Depois junte alho amassado.

A essa altura, a lentilha cozida deve entrar na mistura de linguiça e temperos. Junte a massa mini. Quando faltar 1 minuto pra massa chegar no ponto (o tempo de cozimento da massa está na embalagem) junte a ervilha torta (vale vagem ou ervilha “fresca congelada” também) e espere mais um minuto. Coloque couve fatiada e sirva com cheiro verde. Tá pronta! Tá déli!

Eu tinha essas mini couve MOR-TAS de fofas que o marido deixou de sobra do Jantar Secreto. Como lidar com mini couves????

sopa_lentilha_linguica_semmedida_larissa_januario5peq

 

 

 

 


Fica, vai ter sopa: 5 receitas quentinhas pra você ser feliz

};?>

 

Tá tão frio, mas tão frio na Paulinóia que o único alimento possível é sopa. Vale inclusive entrar na panela para ver se a vida melhora nessa segunda-feira em que a chuva não deu nem 10 minutos de trégua. Segue meu guia de receitas, ordenado por grau dificuldade (dá mais fácil, a mais difícil).

sopa_legumes_carne_larissa_januario_semmedida4

Receita de sopa de legumes com carne e parmesão

sopa_mandioquinha_pronta

Sopa de mandioquinha com linguiça de frango

 

sopa_tomate_gratinada_larissa_januario_semmedida12

Sopa de tomate gratinada com croutons

 

IMG_8558

Sopa de abóbora assada com coco e gengibre

cavatelli_brodo_semmedida_larissa_januario5

Cavatelli in brodo 


Receita: Gazpacho Verde

};?>

 

 

gazpacho_verde_semmedida_larissa_januario3

Gazpacho, um grande amor de verão. Esquentou ele aparece na minha vida como um Tsunami de sabor. Apenas, amo essa combinação de sabores e cores. Mas fiz tanto o gazpacho clássico que enjoei. Sou dessas de que mata receitas a golpes de obsessão. Faço tanto, mas tanto, que chega uma hora que não dá mais.

Aí sou forçada a inventar versões de pratos que amo para resgatá-los na minha palheta de sabores. Numa dessas inventei esse gazpacho verde. Não, eu nao troquei o tomate maduro por verdes. Usei abobrinhas verdinhas. Sim, ficou incrível, vamos para a receita.

 

gazpacho_verde_semmedida_larissa_januario

Corte 1 pão velho em rodelas, vale usar também qualquer outro pão velho de sua preferência. Pique 2 abobrinhas bem verdinhas (médias), 1 penino japones, 1 pimentão verde e 1 cebola branca em cubos grandes.

gazpacho_verde_semmedida_larissa_januario2

Em uma vasilha coloque o pão e os vegetais. Junte dois dentes de alho descascados, 1/2 xícara de vinagre de arroz, 1/2 xícara de vinho branco seco, suco de 1 limão, sal e pimenta-do-reino. Opcional: eu coloquei cominho em grãos de cominho (uns 10) e duas pimentas verdes tostadas diretamente no fogo para dar um “defumê”.  Cubra com água filtrada (lembrando que a receita não vai ao fogo) e deixe descansar na geladeira por mais tempo possível para pegar gosto e tornar tudo mais fácil de digerir. Bata tudo no liquidificador e sirva geladinho.

gazpacho_verde_semmedida_larissa_januario4