Spaghetti al pomodoro (ou massa com molho de tomate)

};?>

spaghetti_tomate

Não tenho dúvida que esse é o meu prato predileto. De setembro a fevereiro encontramos tomates bons e baratos aqui na região Sudeste. Neste período eu aproveito para fazer quilos de molho e congelar pro inverno. Usar  ingredientes fora de época significa muito mais agrotóxico e menos sabor, além de preços bem mais altos. Quem não se lembra e sente arrepios quando o kg do tomate chegou a R$15,00?

Existem muitas variações para molhos de tomate, em pedaços grandes, ao sugo, com salsinha, manjericão, canela, cebola, açúcar, berinjela, mirepoix e até crus, apenas esmagados sobre o macarrão. Na Itália comi muitas vezes este prato com os tomates quase, ou totalmente crus e praticamente nada de tempero, prevalecendo o sabor doce e sem acidez do tomate de lá. O sal ficava por conta do parmesão.

De todas as receitas com tomates frescos que já fiz, esta é a que fica com a cor mais bonita, um molho vermelho escuro que dá gosto de ver, e de comer! Por ser feito com tomates comuns, encontrados em feiras de rua, demanda cerca de 1h de cozimento para reduzir a acidez. O resultado é um molho muito concentrado e que perfuma a cozinha! Devido à grande quantidade de azeite, fica com muito brilho e sabor, e conserva-se por bastante tempo. Pode ser guardado por vários dias em geladeira ou congelado.

Ingredientes

– 1,3 kg de tomate italiano bem maduro, o mais vermelho que encontrar
– 1 xícara de chá de azeite de oliva extra virgem
– 1 punhado de manjericão
– 5 dentes de alho inteiros
– 1 colher de sopa de sal marinho
– 1 pacote de spaghetti de grano duro
– pimenta do reino moída na hora
– 100g de parmesão para ser ralado na hora

Modo de fazer

Em uma panela grande, coloque água até a metade e leve para ferver. Lave bem os tomates e faça um corte em forma de cruz.

tomate_corte

Coloque os tomates na água quente e aguarde uns 30 segundos, ou até que a pele dele comece a soltar. Escorra a água, mergulhe todos os tomates em água fria e retire a pele deles, descartando-a junto com as partes machucadas e a tampa. Corte cada tomate em quatro partes e separe as sementes, colocando-as sobre uma peneira.

Corte os tomates com a ponta da faca, de forma que fiquem pedaços muito pequenos, o menor possível. Não bata no liquidificador, pois ele ficará com uma cor alaranjada e aqui queremos um molho bem vermelho.

Aqueça ½ xícara de azeite e doure os dentes de alho. Coloque os tomates, as folhas de manjericão, o caldo que escorreu das sementes e o sal. Deixe cozinhar por no mínimo 40 minutos, com a panela destampada, ou até que o molho reduza bastante e fique bem encorpado. Mexa de vez em quando para não grudar. Acerte o sal, coloque pimenta do reino moída na hora e o restante do azeite.

Ferva uma panela grande com água e 1 colher de sopa de sal. Coloque o spaghetti para cozinhar conforme as instruções da embalagem. Escorra. Não jogue água, nem manteiga, nada. Junte a massa ao molho de tomate. Sirva com um bom queijo parmesão e folhinhas de manjericão para decorar.

*Marina Kawata é jornalista e especializada em gestão de empresas, mas é na cozinha que encontrou sua paixão. É vegetariana e acredita que a alimentação saudável é a chave para a saúde, desde que a comida seja gostosa!


Berinjela a Parmegiana

};?>

berinjela_parmegiana

Retornando das férias hoje depois de algumas semanas viajando e sem postar, mas feliz e cheia de novidades gastronômicas e vegetarianas. Volto das férias ainda mais apaixonada por comida.

Minha primeira parada nessa viagem foi a Itália, com seus tomates e queijos espetaculares. Aprendi que a pizza napolitana, pra ser chamada como tal, deve seguir padrões como a quantidade de sal, o tamanho da borda, além de muitas outras coisas, e os ingredientes do recheio devem ser sempre muçarela de búfala, tomate e manjericão, as três cores da bandeira italiana. Também aprendi que os melhores tomates da Itália crescem na região de Campania, no solo vulcânico do Vesúvio, terra conhecida como zona rossa (área vermelha) devido ao risco de erupção vulcânica.

Estava ansiosa pelos novos sabores e planejando reproduzir aqui no blog versões sem carne dos pratos italianos. De fato, as descobertas aconteceram, de coração aberto e estomago sempre faminto, mas pra minha surpresa, a maioria dos pratos italianos que provei, apesar de serem gostosos, não eram tão saborosos quanto as minhas expectativas. Parecia faltar tempero, ou talvez tenha sido meu paladar mal acostumado, acho que com um pouco mais de sal, alho e pimenta ficaria perfeito! Retornei a São Paulo cheia de saudade das minhas panelas e louca para por a mão na massa, literalmente. Um dos pratos que mais gostei na Itália foi Melanzane alla Parmigiana e é com ele que vou iniciar a coluna sem carne em 2015.

Como não temos em terras tupiniquins aqueles tomates italianos incríveis, usei passata de tomate (pasta de tomate) italiano.

Ingredientes
3 berinjelas
200g de muçarela ralada
Parmesão ralado
1 vidro de passata de tomate italino 680g
2 dentes de alho
Folhas de manjericão
Azeite
Sal e pimenta do reino

Modo de fazer

Corte as berinjelas na longitudinal o mais fino que puder. Salpique um pouco de sal e aguarde 30 minutos. Esprema as berinjelas. Unte uma assadeira com azeite e coloque uma camada de berinjela. Leve ao forno alto e pré-aquecido por alguns minutos e vire-as para secarem dos dois lados. Ela precisa ficar bem sequinha. Faça isso em etapas com todas as fatias de berinjela.

Enquanto isso, pique o alho e frite-o em azeite por alguns minutos. Adicione o molho de tomate e o manjericão picado e deixe ferver. Acerte o sal e a pimenta do reino.

Para a montagem

Coloque um pouco de molho em uma assadeira. Faça uma camada de berinjela, cubra com um pouco de muçarela e coloque outra camada de molho. Vá intercalando a montagem até encerrar com a berinjela. Despeje o restante do molho, cubra com o restante da muçarela. Leve ao forno para gratinar. Coloque o parmesão ralado por cima na hora de servir.

*Marina Kawata é jornalista e especializada em gestão de empresas, mas é na cozinha que encontrou sua paixão. É vegetariana e acredita que a alimentação saudável é a chave para a saúde, desde que a comida seja gostosa!


Ratatouille – Uma Receita, Muitas Maneiras de Servir

};?>

Ratatouille

Berinjela, abobrinha, tomate e pimentão vermelho. Esses quatro ingredientes juntos são uma combinação perfeita.

A receita é do século XVIII, da região francesa de Provence, mas eu só tive interesse em fazê-la em 2007, quando a Pixar apresentou a sua versão de ratatouille ao mundo. Ver o ratinho preparando aqueles legumes empilhadinhos em forma de espiral aguçou minha curiosidade. Eu precisava comer aquilo! Assisti a cena do Remy preparando a ratatouille milhares de vezes. Ao mesmo tempo começaram a pipocar receitas em revistas e blogs. Fiz um apanhado de tudo o que me agradou e cheguei nesta receita, que fica incrível, segundo todos que a provaram. Ratatouille é realmente um prato maravilhoso, começando pelos ingredientes, que são fáceis de encontrar e acessíveis aos bolsos. Muito versátil, fica delicioso com pão, com arroz, como molho de macarrão, com couscous marroquino, como salada, antepasto, frio, quente, puro, com molho e provavelmente com muitas outras combinações que vocês venham a imaginar.

Para o preparo, você vai precisar de um refratário. Assadeiras de alumínio não servem porque assam muito rápido e a ratatouille pode queimar.

Ingredientes:

– 1 abobrinha italiana média
– 1 berinjela média
– 4 tomates italianos
– 2 colheres de sopa de polpa de tomate
– azeite
– sal e pimenta do reino
– papel manteiga

Para o molho
– 1 lata de tomate italiano pelado ou 5 tomates sem pele e sem sementes
– 1 dente de alho picadinho
– ½ pimentão vermelho
– folhas de manjericão

Modo de fazer:
Comece fatiando a abobrinha, a berinjela e os 4 tomates o mais fino que puder. Se tiver um mandoline, vai facilitar bastante este processo. Senão, é só ter um pouco de paciência e fatiar com uma faca de chef bem afiada.
Espalhe a polpa de tomate no refratário e vá intercalando a abobrinha, a berinjela e os tomates até que cubram todo o refratário.
Salpique sal, pimenta do reino preta moída na hora, despeje um pouco de azeite por cima, cubra com papel manteiga e leve ao forno pré-aquecido a 220 graus.
Após 15 minutos, retire o papel manteiga e deixe assando por mais cerca de 20 minutos ou até que os legumes estejam macios e o liquido (eles soltam água) tenha quase secado.
Enquanto isso, prepare o molho. Sue o alho no azeite e coloque os pimentões picados e os tomates pelados. Deixe cozinhar em fogo baixo por cerca de 20 minutos. Adicione as folhas de manjericão picadas, tampe a panela e deixe esfriar um pouco. Bata tudo no mixer ou liquificador, volte para a panela e deixe o molho apurar por mais 10 minutos.
Sirva a ratatouille e o molho junto com o acompanhamento de sua preferência.

*Marina Kawata é jornalista e especializada em gestão de empresas, mas é na cozinha que encontrou sua paixão. É vegetariana e acredita que a alimentação saudável é a chave para a saúde, desde que a comida seja gostosa!


Receita de Molho de Tomate (molho pomodoro)

};?>

molho_sugo4

Molho de tomate ao sugo é que nem roubar pão na casa do João. Parece fácil, mas é difícil. Às vezes fica ácido e indigesto, daquele que você come e fica lembrando para sempre.

Um jeito de conseguir um bom molho equilibrado e mais próximo do fresco é usar uma base de  mirepoix. O açúcar presente na cebola, no salsão e na cenoura ajudam a equilibrar a acidez do tomate, além de darem corpo e profundidade de sabor ao molho.

almondega_sem_medida_larissa_januario27

Comece picando os vegetais. Do mesmo tamanho de preferência para que ninguém queime antes. Você vai precisar de duas partes de cebola para 1 parte de cenoura e 1 parte de salsão. Essa é a proporção indicada para um mirepoix básico. Deixe que os legumes refoguem até mudar de cor como na foto. Nesse momento, se gostar, acrescente o alho picado. Na sequência, junte os tomates. No caso dos tomates pelados em lata, é só coloca-los e passar o mixer.

almondega_sem_medida_larissa_januario12

Mas se optar por usar tomates frescos eles devem estar sempre maduros e firmes.

como_descascar_tomate_larissa_januario

Para descascá-los, faça um leve corte em forma de + na parte oposta a do topo, onde ficaria o talo. Depois coloque em água  fervente por alguns minutos, ate começar a abri a pele. Descasque facilmente.

como_descascar_tomate_larissa_januario6

Passe o tomate amassado pela peneira para tirar as sementes. E nesse ponto você pode acrescentar ao refogado do mirepoix. Deixe cozinhar por 20  minutos no caso dos tomates frescos e 40 minutos no caso dos tomates enlatados.

almondega_sem_medida_larissa_januario13Para aromatizar o molho, amarre um maço de manjericão e inclua ao cozimento. Retire no final. Também pode ser orégano fresco ou salsinha.  Não tampe. Corrija o sal e use como quiser. Pode ser congelado depois de pronto.

 


Receita: Quiche Caprese (tomate, queijo e manjericão) com a massa mais leve do mundo

};?>

 

Eu não sou muito fã de quiches e tortas de massa podre. Em geral elas são feitas à base de gordura vegetal hidrogenada, o que para mim é extremamente indigesto provocando horas de azia e mal estar. A solução é preparar em casa a minha versão. A massa de torta eu já compartilhei aqui nessa versão fantástica de frango. Pode comer até passar não aguentar mais que eu garanto, sem mal estar.

Read the rest of this entry »