Antepasto de Berinjela Crua

};?>

antepasto berinjela2

Acabou o Carnaval, já passou o pós e até o glitter já saiu do corpo (por aqui!). Agora é oficial: 2016 começou pra valer e é hora de resgatar as pendências, inclusive de receitas vegs pra todos os gostos!

Pra dar início aos trabalhos da coluna Sem Carne, vamos de antepasto vegano de berinjela, fazendo jus ao nome do blog: Sem Medida, quantidades de acordo com o gosto da cozinheira ou do cozinheiro, porque mesmo variando as quantidades dos ingredientes, essa receita é um sucesso.

Ingredientes:

Berinjelas cruas, umas 4 semi descascadas.
Pimentão vermelho em cubos médios
1 cebola em cubos pequenos
Alguns dentes de alho
Uva passa branca picadinha (opcional)
Castanha de caju
Azeitona verde sem caroço
Um punhado de alcaparras escorridas
Folhas de coentro
¼ xícara de vinho branco
¼ xícara de vinagre de vinho branco
1 pimenta dedo de moça picadinha sem as sementes
Sal e pimenta do reino a gosto

Preparo
Pique a berinjela em três partes e faça fatias bem finas. Depois corte tudo em tiras. Coloque as berinjelas em um escorredor de massas e misture uma quantia generosa de sal. Coloque um prato por baixo pois ela vai soltar muita água. Deixe por algumas horas escorrendo, depois lave a berinjela, esprema e reserve.

Numa frigideira refogue a cebola em um pouco de azeite, depois junte o alho (não deixe dourar), adicione o pimentão vermelho e refogue até que esteja al dente. Adicione o vinagre e o vinho branco, deixe no fogo por alguns minutos e despeje tudo por cima da berinjela.

Pique finamente as folhas de coentro, as alcaparras, as azeitonas verdes, as uvas passas e a castanha de caju. Junte a pimenta dedo de moça, acerte o sal e a pimenta do reino e coloque azeite, muito azeite (ahhh!)

Misture tudo com a berinjela. Sirva em temperatura ambiente com pão italiano ou outro pão de casca grossa.

*Marina Kawata é jornalista e especializada em gestão de empresas, mas é na cozinha que encontrou sua paixão. É vegetariana e acredita que a alimentação saudável é a chave para a saúde, desde que a comida seja gostosa!


Farofa de Talos e Folhas e Beterraba Assada com Queijo Minas

};?>

beterraba3

Tão gostosos quanto a própria beterraba são os seus talos e folhas. Quando ainda são novos, eles são mais macios e por isso ficam ótimos mesmo crus, no meio de uma salada ou para enfeitar pratos quentes, por exemplo. Mas quando as beterrabas já estão maiores, costumo picar tudo bem pequeno e refogar com cebola e alho. Nem sempre as beterrabas são vendidas com talos e folhas, por isso compro sempre em hortas, onde elas são colhidas na hora.

Há algumas semanas estive em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. Não é a região mais rica em cultura gastronômica, mas existem produtos típicos bem populares e interessantes, como os mates gelados tomados em cuias chamados de tereré. No Mercado Municipal encontra-se uma boa variedade de farinhas, e no estacionamento do Mercado há uma feira indígena onde podemos comprar frutos do cerrado.

A farinha de Furnas, produzida no quilombo Furnas do Dionísio, localizado a 45km da capital, é uma farinha grossa e muito saborosa, e foi ela que usei pra fazer esta farofa. A cor linda fica por conta dos talos e folhas da beterraba. Ficou muito boa!

Para acompanhar, assei as beterrabas embrulhadas em papel alumínio até ficarem macias.

Ingredientes
2 xícaras de farinha de mandioca grossa
Folhas e talos de umas 5 beterrabas
1 cebola picada em cubos pequenos
2 dentes de alho bem picados
100g de manteiga
Sal e pimenta do reino moída na hora
Beterrabas assadas
Queijo branco esfarelado

Modo de fazer
Aqueça a manteiga e refogue a cebola. Coloque o alho e refogue um pouco mais. Adicione os talos e folhas da beterraba e deixe no fogo até que estejam macios. Desligue o fogo e coloque a farinha. Acerte o sal, moa um pouco de pimenta do reino por cima e sirva com as beterrabas fatiadas e queijo minas.

beterraba2

*Marina Kawata é jornalista e especializada em gestão de empresas, mas é na cozinha que encontrou sua paixão. É vegetariana e acredita que a alimentação saudável é a chave para a saúde, desde que a comida seja gostosa!


Quinua com Legumes

};?>

quinoa

*por Marina Kawata

A quinoa é um alimento incrível, principalmente para os vegetarianos e veganos. Ela possui todos os aminoácidos essenciais, o que a torna uma fonte de proteína completa, algo que normalmente só ocorre em alimentos de origem animal, com algumas exceções. (Neste post falo um pouco sobre os aminoácidos essenciais e não essenciais e as fontes de proteínas completas para vegetarianos e veganos).

Pouco calórica (100g tem 336 kcal), a quinoa não contém glúten e seu índice glicêmico é baixo (assim como a batata doce, é absorvida e digerida mais lentamente, não causando picos e quedas bruscas de açúcar no sangue). Não é a toa que ela entra no grupo dos chamados superfoods (superalimentos), nome dado a alimentos que conferem mais benefícios à saúde do que a maioria. Neste grupo estão também o nosso açaí e castanha do Pará, além de romã, cacau, chia, linhaça e outros.

O preparo da quinoa é muito simples, praticamente como o do arroz, só mudando a proporção de 1 de quinoa para 2,5 de líquido. Aqui usei a receita do caldo de legumes do post anterior.

Ingredientes
1 xicara de quinoa branca
½ xícara de quinoa vermelha
1 alho poro (só as parte branca) fatiado o mais fino que puder
1 cebola picada em cubos pequenos
2 xícaras de chá de ervilha fresca
4 xícaras de chá de caldo de legumes
2 tomates sem pele e sem sementes picados
½ colher de chá de páprica picante
½ xícara de chá de vinho branco
2 cebolinhas (só a parte branca) picadas
½ xícara de salsinha picada (só as folhas)
Azeite
Sal e pimenta do reino moída na hora

Modo de fazer

Lave bem a quinoa até que a água saia transparente. Cozinhe em fogo baixo com a panela tampada junto com 3 xícaras de chá de caldo de legumes e a páprica picante por aproximadamente 20 minutos.
Cozinhe a ervilha fresca em água e sal até que esteja al dente. Escorra e reserve.
Em uma frigideira grande, coloque um pouco de azeite e sue a cebola. Adicione o vinho e deixe reduzir. Junte o alho poro e refogue até que esteja bem macio. Adicione a cebolinha e a ervilha e salteie. Junte a quinoa e o restante do caldo de legumes e mantenha no fogo até que o caldo tenha quase secado. Corrija o sal, a pimenta, coloque a salsinha por cima e sirva.

Marina Kawata é jornalista e especializada em gestão de empresas, mas é na cozinha que encontrou sua paixão. É vegetariana e acredita que a alimentação saudável é a chave para a saúde, desde que a comida seja gostosa!


Receita: Farofa de Pinhão

};?>

 

 

 

farofa_pinhao_semmedida_larissa_januario

É tempo de pinhão. E se você não é chegado na semente cozida da araucária, vai ai um jeito de dar um up e curtir a temporada.

Cozinhe ou compre já cozido uns 200g de pinhão.  Pique grosseiramente e reserve. Em uma frigideira derreta 2 colheres de manteiga (ou mais) e frite 1 cebola picada. Quando a cebola ficar transparente, acrescente 2 dentes de alho amassado.Acrescente os pinhões e a farinha de mandioca (mais uns 200g). Tempere com sal e pimenta. Finalize com cheiro verde (eu usei coentro, mas pode ser salsa). E coma com peixe.
farofa_pinhao_semmedida_larissa_januario4


Caldo de Legumes Caseiro

};?>

legmes_caldo

*por Marina Kawata

Não é novidade que os caldos industrializados fazem mal à saúde. Os tabletes e pozinhos Knorr, Maggi, Ajinomoto, Sazon e tantas outras marcas, além de serem cheios de sódio, contém gordura hidrogenada, corantes artificiais, glutamato monossódico e intensificadores de sabor. Esses caldinhos dissimulados, ao invés de realçarem o sabor, mascararam o gosto natural dos alimentos.

Quer mais motivos para fazer seu próprio caldo em casa? Um caldo de legumes fica pronto em 40 minutos, é muito fácil de ser preparado e é barato. Pode ser guardado por 1 semana em geladeira ou congelado em pequenas porções para ser usado em pratos como risotos, sopas, cozidos etc.

Basicamente é necessário que se tenha 3 ingredientes para o preparo de um caldo. São eles cebola, cenoura e salsão que, utilizados na proporção de 1 parte de cebola para ½ do restante, formam um aromático clássico chamado mirepoix (lê-se mirepoá). À partir disso, é possível acrescentar outros ingredientes também aromáticos, como dentes de alho, folhas de louro, pimenta em grãos, ervas frescas e secas e até o que costumamos descartar, como talos de salsinha, partes mais duras dos aspargos e cabos de cogumelos. Não tem regra, o que vale é reduzir desperdício e ganhar sabor.

Esta é uma receita básica que sempre tenho no congelador. Rende 4 litros.

Ingredientes

¼ xícara de óleo
½ cenoura
1 talo de salsão sem as folhas
1 cebola média
3 dentes de alho
1 tomate
1 alho poro (apenas a parte verde)
2 cravos da índia
Talos de salsinha
1 folha de louro
Pimenta do reino em grãos
Algumas sementes de erva doce
1 gaze ou um porta chá e um pedaço de barbante
4,5 litros de água

Modo de Fazer

Vamos começar preparando um sachê com os ingredientes pequenos para que eles não se percam no caldo e fiquem mais fáceis de serem coados posteriormente. Coloque o louro, os talos de salsinha picados, cravos e erva doce em uma gaze, amarre com um barbante e reserve. Esse sachê é chamado de sachê dépices.

sachet_depices

Aqueça o óleo e refogue os vegetais. Adicione a água e, assim que levantar fervura, abaixe o fogo e adicione o sache d’épices. Mantenha no fogo por 40 minutos, sempre em fogo baixo. Coe e guarde em potinhos para congelamento ou para uso posterior.

Marina Kawata é jornalista e especializada em gestão de empresas, mas é na cozinha que encontrou sua paixão. É vegetariana e acredita que a alimentação saudável é a chave para a saúde, desde que a comida seja gostosa!