Veja as boas do fim de semana na gastronomia

};?>

Kakiague Soba

Sakagura A1 prepara versão de inverno de comida de rua japonesa
O Sakagura A1, do premiado chef Shin Koike, se prepara para mais uma edição do “Comida de Rua, né!”, desta vez com pratos de inverno. No próximo sábado, 19/07, das 12h30 às 16h, o restaurante vai servir duas opções de ensopados à base de macarrão japonês: o soba (lê-se sobá) e o udon. O soba é cortado como o linguini e feito com farinha de trigo-sarraceno, o que lhe confere uma coloração castanha. O trigo-sarraceno é bastante nutritivo e não contém glúten, sendo uma opção leve e que apresenta mais proteína que arroz, trigo ou milho.  Já o udon, com formato mais grosso, é de massa branca, feito com farinha de trigo. O chef vai preparar o kakiague soba, em que o macarrão é misturado com tempurá de legumes e caldo dashi. O segundo é o kare udon, a base de curry, com sabor mais picante, e camarão seco. Cada prato custa R$18. Para acompanhar, promoção de chopp Heineken por R$ 5.

Sakagura A1
Rua Jerônimo da Veiga, 74 – Itaim
Tel.: 11 3078-3883
+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
10517564_10204275245870405_4634440794402445385_n

O Mercado em homenagem a cozinheira mexicana Lourdes Hernández
O Mercado Feira Gastronômica faz no dia 20/07, domingo, a partir das 12h, mais uma edição. Dessa vez, o evento acontece no Mercado Municipal de Pinheiros, e irá homenagear a cozinheira mexicana Lourdes Hernández e seu marido, o artista plástico Felipe Ehrenberg, que depois de 13 anos no Brasil, retornam a sua terra natal, após ficarem conhecidos por promoverem jantares exclusivos para convidados em sua casa, denominada Salón Calavera, com comida autêntica mexicana, música típica e arte.Para esta despedida em clima de festa, foram convidados 20 cozinheiros. Destaque para o lançamento da Gelateria Bellomo em parceria com Henrique Fogaça, que apresenta o Gelato de Doce de Leite com Cerveja Pale Ale, sobremesa que faz o equilíbrio entre o doce do sorvete e o amargo da cerveja, e estará a venda na tenda da Bellomo (1bola/ R$8).O Mercado tem um cardápio com mais de 40 opções, entre bebidas e comidas, de diversos sabores, aromas e texturas, preparadas especialmente para o evento, a preços que vão até R$ 15.O evento é gratuito e acontece até às 20h (ou até esgotarem os estoques). Lista completa dos participantes aqui: www.facebook.com/o.mercado.feira.gastronomica

O Mercado Feira Gastronômica
Rua Pedro Cristi, 89 – Pinheiros – São Paulo – SP
www.facebook.com/o.mercado.feira.gastronomica

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

quero_ser_cozinheiroQuero Ser Cozinheiro no Mandíbula
Anota aí na agenda, o chef Léo Gonçalves, do Quero ser Cozinheiro, esterá  neste sábado (19/7), a partir das 16h, no bar/café/loja de discos Mandíbula, cozinhando durante a festa Rancho Albertino. Entre os pratos estão o Tombedur, hotdog de salsicha húngara, molho de tomate especial, picles de pepino e queijo gruyère maçaricado; o SertãoBeef: sanduíche de rosbife de carne de sol, picles de cebola roxa, queijo coalho cremoso e crocante e o quibe de abóbora com quinoa, salada de mini rúcula e coalhada.

Mandíbula
Praça Dom José Gaspar, 106, 2o. andar, Lj. 40 (Galeria Metrópole)
Tel.: 11 3129-3556

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Pargo com arroz de coco e patacon

Menu do Suri para independência da Colômbia
O chef Dagoberto Torres prepara cardápio especial no Suri Ceviche Bar até 27/07 em homenagem à independência da Colômbia, seu país natal, comemorada no dia 20/07.  Nascido em Chaparral, em Tolima, no interior do país, Dagoberto elaborou pratos que exaltam a riquíssima gastronomia de seu país, com influências de suas quatro regiões geográficas: Andes, Pacífico, Caribe e Amazônia. Entre as opções o Coctel de ostras (R$ 30), ceviche de ostras, com purê de tomates, salsa negra, chile habanero, coentro e patacones, banana da terra verde crocante, e os Patacones com chipichipi (R$ 22) com guisado de vôngole e peixe branco com molho criollo, leite de coco, coentro e açafrão da terra. Outra sugestão é o Boaventura (R$ 39, foto), pargo frito, acompanhado de arroz com coco e patacones, é famoso na cidade portuária de mesmo nome do prato, que ficou imortalizado em tantas músicas.

Suri Ceviche Bar
Rua Mateus Grou, 488, Pinheiros
Tel.: 11 3034-1763
www.suri.com.br

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

bravinCachaçada na Calçada no Bravin
Não podia ser melhor.A já tradicional “Domingueira” do Bravin deste fim de semana, 20/07, ganha o reforço de Carolina Oda, especialista em gastronomia, cervejas e hospitalidade, de Rodolfo de Sousa Bob, expert em coquetéis e destilados e de Laércio Silva Zulú, mixologista atual campeão do WorldClass Brasil 2014. O time de peso se junta a proprietária da casa a sommeliere, Daniela Bravin para lançar o projeto “Cachaçada na Calçada”.O evento apresentacardápio exclusivo receitas como a Raspadinha de Exu – cachaça, catuaba, paçoca de rolha, xarope de açúcar e limão; o Caracu com Ovo ”Sour” – cachaça, redução de cerveja preta, limão, clara de ovo e Zulú Bitter Aromatic e a Cachaça de Limão com Caju – xarope de açúcar, folhas de poejo e água gaseificada. Para quem tem frio a dica o Esquenta Oreia, mas não é quentão – um infusão de capim santo e cidreira,  cachaça aromatizada com lascas de coco seco, rapadura,  Zulú Bitter e perfume de cítricos.

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

PiadinaFrango_ViaEmilia_rogériovoltan2_releaseVia Emilia traz piadinas bem recheadas
A Via Emilia, casa especializada em piadinas – pão fino típico da Emilia Romagna, norte da Itália, traz opções bem recheadas que valem por uma refeição. No comando da cozinha a chef Lais Duo prepara o pão em meia lua com recheios diversos entre salgados e doces. Destacam-se as piadinas preparadas com presunto cru, stracchino (queijo fresco de leite de vaca) e rúcula; de peito de frango assado e fatiado com lascas de parmesão, crisps de bacon, maionese e alface americana; e também a opção vegetariana, de mussarela de búfala, tomatinhos secos e manjericão. Todas acompanhadas de salada ou chips de tubérculo. Como sobremesa, as sugestões são os recheios ganache de nutella e doce de leite com maçã caramelizada. Para entrada, não deixe de pedir a porção de arancino, bolinho de arroz italiano feito com risoto milanês. A casa também oferece vinho em taça.

Via Emilia
Rua dos Pinheiros, 537, Pinheiros
Tel.: (11) 3062-2437
www.viaemiliapiadineria.com

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

daiquiriDaiquiri em dobro no BOS BBQ
Sábado, 19/07 é o dia internacional do Daiquiri, um dos drinques prediletos do escritor Ernest Hemingway. Ele se apaixonou pelo coquetel durante a temporada que passou em Cuba.  Para celebrar, o restaurante Boss BBQ vai oferecer o double daiquiri de Bacardi. No sábado (19/07) e no domingo (20/07), os cliente que pedirem o drinque, levarão outra unidade grátis.

BOS BBQ
Rua Pedroso Alvarenga, 559, Itaim Bibi.
Tel.: 11 3078 4858

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

Raclette no Grande Hotel São Pedro
Para aquecer o mês de julho, o Grande Hotel São Pedroservirá em seu jardim de inverno a sua versão da raclette. Esse emblemático e aconchegante prato suíço é composto por uma combinação de queijo derretido – raclette – servido com acompanhamentos variados. Seu nome vem do francês racler e significa raspar. Há opções como batatas assadas, conservas de mini milho, pepino e cogumelo, brócolis, tomate cereja e azeitonas. Além de pães produzidos no próprio hotel, frios e embutidos, como presunto cru. Para harmonizar a dica são três rótulos de vinho: Borgone Maiseon Forgeot, um vinho pinot noir, Sangue di Miura Vigna delle Rose Brachet, composto 100% pela uva brachetto, e cerveja belga Leffe Blond. Valor: R$ 140 para duas pessoas; às quintas e sábados, a partir das 17h.

Grande Hotel São Pedro
Parque Dr. Otávio de Moura Andrade, s/n° – Águas de São Pedro/SP
Reservas: 19 3482-7600
www.grandehotelsenac.com.br

+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

image002 (6)5ª edição do Wine Weekend S.Paulo Festival
Até o dia 20/07 acontece o Wine Weekend São Paulo Festival 2014 no Pavilhão das Culturas Brasileiras, no parque Ibirapuera, ao lado do Pavilhão da Bienal. O evento propõe uma imersão no mundo dos vinhos, com degustações, palestras e atrações enoculturais. Nesta quinta edição, há 35 expositores, entre eles vinícolas brasileiras e importadoras, com degustações e venda direta de vinhos de todas as principais regiões produtoras do mundo. São mais de 2000 rótulos de tintos, brancos, rosés, espumantes, licorosos, destilados e cervejas.

O italiano Zucco é o restaurante oficial do evento e vai oferecer um cardápio versátil para que os visitantes harmonizem seus vinhos adquiridos na feira  com seus pratos sem pagar a taxa de rolha. Dentre as opções do menu para começar há a Insalata italiana clássica caprese (Folhas mistas, tomate caqui, mussarela de búfala e manjericão) e a Polenta cremosa con ragu di coda (Polenta cremosa com ragu de rabada ao vinho tinto). Ravioli ala Caprese (massa recheada com mussarela de búfala ao molho de tomates frescos), Gnochetti com ragu di manzo e vino rosso (Gnochetti de batata com ragu de costela assado no vinho tinto), Baccala al forno di legna con patate in parmigian (Bacalhau assado no forno a lenha com azeitonas verdes, tomate cereja e salsão acompanhados de batatas gratinadas e cebola caramelizada) e Ossobuco de vitelo con risoto ala milanese (Ossobuco de vitelo acompanhado de risoto de açafrão) são exemplos de massas, peixe e carne como principais.

5º Wine Weekend São Paulo Festival
Pavilhão das Culturas Brasileiras, no Parque Ibirapuera – Av. Pedro Álvares Cabral – Portões 03 e 10 – São Paulo – SP
Horário: das 12 às 22 horas, de quinta-feira a sábado, e das 12 às 20 horas no domingo
Ingressos: Ingresso Rápido (F. 4003-1212 – ingressorapido.com.br) e, nos dias do evento, no local. R$ 60 (individual e por dia), inclui uma taça. A taça adicional custa R$ 25. Pacote de 4 dias, incluindo 1 taça, custa R$ 150.


Arroz vermelho frito à moda coreana

};?>

 

 

Bibimbap_sem_medida_larissa_januario16

Esse é daquele pratos deliciosos feitos com sobras de geladeira. Você junta alguns bocados e consegue fazer uma refeição colorida, saborosa, nutritiva  e farta. É um prato consumido em países como Coreia, China e Malásia. Como o nome indica, trata-se de um mexidão de arroz com carnes, legumes e ovos, tudo salteado na wok, panela cantonesa de fundo redondo.

É uma receita caseira e por isso aceita inúmeras variações. Cada família faz com o que tem, mas o arroz está sempre presente. Na Ásia, as variedades mais famosas são Yangzhou e Fujian. Há ainda versões vegetarianas criadas para atender muçulmanos  e as que levam ovo frito. Na  Indonésia geralmente são bem picantes (goreng nasi). Também é muito popular na África Ocidental, em nações da Nigéria , Gana e Togo, tanto em restaurante como comida de rua.

Na minha eu usei arroz vermelho, carne bovina, pimentão vagem e repolho roxo e por fim, coroei tudo com ovos, que cozinharam no próprio calor do arroz, pra manter a geminha mole. Vamos ao passo a passo, essa receita serve até 4 pessoas tranquilamente.

Ingredientes (para 4 pessoas):
1 e 1/2 xícara de chá  de arroz vermelho (ou comum) já cozido
1 xícara de chá de carne bovina (usei bombom de alcatra)
óleo de gergelim para refogar
Pimenta-do-reino
1 colher de sopa de shoyu
1 colher de sopa de molho de ostra
1 colher de sopa de nampla (molho de peixe. Sim, vai ficar bom)
1 ramo de cebolinha verde
1/2 pimentão vermelho
1/2 pimentão amarelo
1/2 xícara de chá de cogumelo (usei shitake)
1/2 xícara de chá de vagem
1 pimenta dedo-de-moça

Bibimbap_sem_medida_larissa_januario18

Aqueça bem a panela e salteie as tiras de carne no óleo de gergelim até dourar. Tempere com sal, pimenta  e reserve em outro recipiente. Para uma versão vegetariana exclua esse passo e comece direto no seguinte.

Bibimbap_sem_medida_larissa_januario19

Coloque um fio do óleo de gergelim na mesma panela, refogue a parte branca da cebolinha em rodelinhas, junte os pimentões em tiras, a vagem e o cogumelo.

Bibimbap_sem_medida_larissa_januario20

Junte o repolho picado, o arroz cozido e volte a carne pra panela.

Bibimbap_sem_medida_larissa_januario14

Coloque os molhos e mexa bem até pegar um pouco no fundo da panela, tem que fazer aquele barulho de friturinha. Acerte o sal e finalize com a pimenta dedo-de-moça.

Bibimbap_sem_medida_larissa_januario15

Quebre um ovo por pessoa sobre o arroz e abafe para que ele cozinhe até o ponto desejado. Finalize com a parte verde da cebolinha fatiada. Sirva imediatamente.

Bibimbap_sem_medida_larissa_januario17


Panela wok

};?>

 

frigideira_legumes_carne_semmedida_larissa_januario4

Trata-se de uma panela de fundo redondo que lembra uma embarcação. Tem origem cantonesa, típica da China, especificamente da província de Guangdong. É um dos utensílios de cozinha mais usados na região. O nome vem do chinês tradicional, que é guo. Já na Indonésia é chamada de penggorengan ou wajan. Os malásios chamam de Kuali ou Kawah, e os filipinos, de kawali ou wadjang. Na Índia existe em duas versões: uma tradicional, com um diâmetro mais largo, chamada de chatti cheena, e uma mais profunda e estreita conhecida como karahi. No Japão é conhecida como chukanabe, o que na tradução literal significa panela chinesa.

 


Café com a comadre: quais as dicas para um bom café coado no pano?

};?>

 

cafe_coado_brasil_a_gosto

Essa semana no Café com a Comadre a dúvida é: quais as dicas para um bom café coado no pano?

*Ensei Neto responde. 

Comadre, o coador de pano, assim como qualquer outro utensílio, precisa de alguns cuidados especiais.

Se  for um novinho, digamos, um “Donzelo”, é bom deixar numa panela com água fervente para tirar o cheiro e gosto típicos de algodão novo…aliás, prefira a clássica flanela ou algodão.
Passar um café de boa qualidade para inaugurar o coador é muito importante, pois este é um caso em que “a primeira impressão” é a que vai predominar!
Passado o café, espere que o pó úmido esfrie para, então, dispensá-lo num lixo. Assim, o coador está pronto para ser lavado em água corrente.
Caso queira, use um pouco de detergente neutro, enxaguando bem e pondo-o para secar.
Viu como é fácil?
A propósito, com um café preparado num clássico coador de pano, que quitutes você sugere para acompanhar, comadre?
+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++
A minha sugestão de petiscos para acompanhar o coado do compadre Ensei é o caipiríssmo biscoito de queijo com polvilho.  Além de harmonizar no sabor também reforça o clima de tradição e caseirice.  A receita do biscoito aqui.
biscoito_queijo_polvilho_sem_medida_larissa_januario10
O coado da foto é do restaurante Brasil a Gosto.