Tofu com Legumes ao Molho Curry e Batata Doce

};?>

curry_tofu

*por Marina Kawata

O curry é uma mistura de especiarias muito comum na culinária asiática, especialmente na Índia, Tailandia e Japão, ainda que ele se diferencie bastante de um país para outro. Chamado de karê pelos japoneses, eles costumam consumi-lo com legumes acompanhado de arroz (rice karê).

Cheio de sabor, o curry é um curinga na culinária vegetariana, dando graça até aos ingredientes mais insossos, como é o caso do tofu.

Para esta receita usei o Golden Curry medium hot, que é um tablete japonês pronto, vendido em qualquer loja de produtos orientais.

curry

Ao escolher o curry japonês, pode-se optar por mais ou menos picância. O mild vem na caixinha vermelha e é pouco picante, o medium vem na caixa verde e é meio picante ou o hot, que vem na caixa preta e é muito picante.

Ainda que não seja o caso deste preparo, é interessante mencionar que também é possível preparar seu próprio curry. Normalmente ele leva pimenta do reino, pimenta calabresa, cominho, açafrão, cardamomo, semente de coentro, gengibre e, às vezes, algumas outras especiarias, como mostarda, feno grego, cebola, alho etc.

Ingredientes
2 cebolas médias em tiras (julienne)
1 caixa de Golden Curry medium hot (100g)
500g de tofu firme em cubos grandes
2 cenouras em rodelas
1 pimentão verde em cubos
Óleo
2 batatas doces descascadas

Modo de preparo
Descasque as batatas doces e corte em fatias grossas. Cozinhe em água com sal.
Em outra panela, aqueça o óleo e frite a cebola. Acrescente a cenoura e o pimentão e refogue por alguns minutos. Acrescente o tablete de curry picado, algumas conchas da água do cozimento da batata doce e misture até que o curry esteja dissolvido. Acrescente o tofu, misture tudo com cuidado e desligue o fogo.
Escorra a batata doce e sirva acompanhada com o curry.

*Marina Kawata é jornalista e especializada em gestão de empresas, mas é na cozinha que encontrou sua paixão. É vegetariana e acredita que a alimentação saudável é a chave para a saúde, desde que a comida seja gostosa!


Sunomono – Salada Japonesa de Pepino

};?>

sunomono_pepino

*por Marina Kawata

Eu amo comida japonesa. Meu pai é descendente, então cresci comendo pratos típicos orientais. Naqueles tempos, restaurante japonês em SP estava limitado ao bairro da Liberdade e nem se pensava em rodízio e festivais de comida japonesa. Sushi era tipo coxinha, só em festas e eventos, como na ceia de fim de ano ou nas reuniões feitas após as missas budistas, no andar debaixo da igreja. No budismo, quando há um falecimento, é comum que os familiares se reúnam, de tempos em tempos, em sua memória. Pra mim esses encontros mais pareciam festinhas. Encontrávamos tios e primos e lá a gente comia um monte de coisas gostosas. Era comum ter sunomono (salada crocante e agridoce, normalmente de pepino), doce de kanten (gelatina da alga ágar ágar), bancha (chá verde) e sushi.

Ainda hoje, todas essas comidinhas têm um sabor de infância pra mim. A minha favorita é o sunomono e é esta receita que vamos preparar aqui. Sunomono significa “avinagrado” e pode ser feito com diversos alimentos. Esta é a versão mais conhecida, de pepino.

Ingredientes
2 pepinos
1 colher de sopa de sal para desidratar
¼ de pacote de harusame (macarrão de feijão verde)
1 colher de sopa de gergelim preto

Molho
½  xic vinagre de arroz
1 colher de sopa de mirim
1/3 xic de açúcar

Modo de fazer
Lave bem os pepinos e fatie bem fino. Aqui eu usei uma mandolini, mas pode ser feito com uma faca.
Junte o sal e coloque-os em uma peneira para desidratar por 30 min.
Enquanto isso, prepare o molho do sunomono, levando todos os ingredientes ao fogo e mexendo até que o açúcar esteja dissolvido. Espere esfriar.
Ferva água e adicione o macarrão de feijão com o fogo já desligado. Misture por alguns minutos e quando estiver al dente escorra a água.
Quando o pepino estiver desidratado, lave bem e esprema para tirar todo o líquido.
Misture o pepino, o macarrão e o molho e coloque numa vasilha para servir, salpicando o gergelim por cima.


Yakisoba de Shitake e Vegetais

};?>

yakisoba_preparo

*por Marina Kawata

O yakisoba é o prato chinês mais conhecido no Brasil, mas também é bastante associado à culinária japonesa por ser muito apreciado por lá. O significado de yakisoba é sobá frito. Sobá é um macarrão oriental em forma de spaghetti, feito de trigo sarraceno. Também existe a versão feita com lámen, o miojo, mais comum no Japão.

O prato fica melhor se preparado em uma wok, panela oriental com a boca larga. Tanto o macarrão como os vegetais devem ser fritos para que fiquem crocantes. A crocância faz toda a diferença no yakisoba, e essa também a maior dificuldade no preparo, pois o tempo de cozimento de cada legume varia muito. Há duas opções: fritá-los um por um na panela ou começar colocando os vegetais mais duros e ir adicionando os legumes mais macios depois. A segunda opção é um pouco mais difícil de acertar, pois os vegetais precisam estar al dente ao término do preparo, porém faz menos sujeira.

Ingredientes

– ½ pacote de sobá ou de macarrão para yakisoba
– 200g de shitake
– 5 talos de brócolis ninja picado em tamanho pequeno
– 1 punhado de vagens picadas no tamanho de 3 cm
– 1 cenoura grande em fatias finas
– 3 folhas de acelga picadas em tamanho grande
– ½ litro de caldo de legumes
– 1 dente de alho picado
– 35g de amido de milho
– 80ml de molho de soja
– 2 colheres de sopa de óleo de gergelim
– sal
– ½ collher de cha de açúcar

Modo de Fazer

Cozinhe o macarrão al dente (aproximadamente 6 minutos). Escorra.

Em uma wok aqueça 2 colheres de sopa de óleo e coloque o macarrão. Não mexa, apenas levante um pouco os cantos de vez em quando para ver se já está frito por baixo. Quando estiver crocante, mas antes de dourar, vire o macarrão todo com o auxílio de duas colheres. A esta altura deverá estar um pouco grudado. Reserve.

yakisoba_macarrao

Se preferir fazer os legumes separados, é só fritar os legumes separadamente em um pouco de óleo e depois colocá-los de volta na panela para o preparo do molho

Para o preparo mais prático, com todos os vegetais juntos na wok, comece aquecendo um pouco de óleo e adicione os brócolis e as vagens, mexendo de vez em quando, por cerca de 5 minutos. Adicione o alho, refogue por 1 minuto, coloque a cenoura. Frite por mais 2 minutos e adicione o shitake, a acelga e o caldo de legumes. Assim que a acelga murchar, coloque o amido de milho dissolvido em um pouco de água e o shoyu com o açúcar. Misture um pouco até o molho engrossar com o amigo, adicione um pouco de óleo de gergelim e corrija o sal, se necessário.

Coloque o macarrão frito no prato de servir e despeje o molho por cima. Sirva imediatamente.

*Marina Kawata é jornalista e especializada em gestão de empresas, mas é na cozinha que encontrou sua paixão. É vegetariana e acredita que a alimentação saudável é a chave para a saúde, desde que a comida seja gostosa!

 


Moqueca Vegana de Repolho

};?>

moqueca_vegetariana2

Tem moqueca capixaba, moqueca baiana, justo que tenha também moqueca vegana!

Poderia ter inventado um nome pra esse prato, já que troquei o ingrediente principal por repolho, poderia chamar de ensopado de repolho, mas duvido que teria o mesmo impacto pra um vegetariano ou um vegano. Ao fazer esta moqueca eu concluí que, independente de não termos peixe, o que dá graça ao prato é o dendê com o leite de coco, o colorido dos pimentões e o perfume do coentro.

E como tempero é tudo na cozinha vegetariana, aqui a gente vai caprichar pra vegetariano, vegano e até onívoro nenhum botar defeito!

Peço desculpas pelas fotos, não era pra serem essas, mas foram as que me restaram após ter meu celular roubado.

Ah eu prefiro fazer meu próprio leite de coco. É muito mais gostoso, mas tem a desvantagem de estragar muito rápido, então precisa ser feito na hora.

Ingredientes

Para o leite de coco
300g coco ralado na hora (pode ser comprado na feira) ou 300ml de leite de coco industrializado
A mesma medida de água filtrada
1 pedaço de pano para coar

Para a moqueca
1 repolho pequeno
3 tomates sem pele e sem sementes
1 pimentão verde sem sementes em pedaços grandes
1 pimentão vermelho em pedaços grandes
1 cebola grande picada em quadrados grandes
1 dente de alho picadinho
½ xícara de castanha de caju picada
100 ml de caldo de legumes
150 ml de azeite de dendê
Azeite de oliva
1 xícara de coentro picado
Pimenta de cheiro
Sal e pimenta do reino moída na hora

Modo de preparo:

Leite de coco
Aqueça a água até ficar morna e bata com o coco ralado no liquidificador por alguns minutos. Coloque uma peneira sobre um bowl e cubra com um pano limpo (eu comprei algumas fraldas para isso). Despeje a mistura do liquidificador e vá apertando o pano até sair todo o líquido. O leite de coco está pronto. Se quiser, pode guardar o coco que sobrou para colocar em uma massa de bolo.

Preparo da Moqueca
Fatie o repolho o mais fino que puder. Em uma panela de barro ou de fundo grosso, refogue o alho, a cebola e os pimentões no azeite. Quando estiverem al dente coloque o repolho, o caldo de legumes e mexa com uma colher grande de vez em quando para não queimar, até que o repolho esteja macio. Junte o leite de coco, o dendê, a castanha de caju, as pimentas e o coentro, misture rapidamente, acerte o sal e cozinhe por cerca de 10 minutos com a panela tampada. Leve a panela de barro à mesa, ainda com a tampa. A moqueca estará linda e borbulhando. Sirva com arroz branco e farofa.

moqueca_vegetariana1

 

*Marina Kawata é jornalista e especializada em gestão de empresas, mas é na cozinha que encontrou sua paixão. É vegetariana e acredita que a alimentação saudável é a chave para a saúde, desde que a comida seja gostosa!


Sardela Vegetariana

};?>

sardela_vegetariana

Minha maior inspiração pra cozinhar é a vontade de comer. E, por ser vegetariana, muitas vezes, preciso adaptar receitas para versões sem carne pra matar minhas vontades. Esses dias minha irmã apareceu em casa com uma sardela, fiquei sem comer e pensando nela por uns dias, frustrada. Aí eu pensei que poderia dar um sabor de mar à receita com algas ao invés de usar peixe. Elas são encontradas em lojas de produtos orientais, como a Towa e a Marukai, no bairro da Liberdade.

Não fica igual, claro, afinal a anchova, ou sardinha anchovada, que normalmente é usada no Brasil, tem um sabor bem forte, mas a versão vegetariana da sardela ficou muito gostosa! Pra compensar essa deficiência, coloquei também pimenta calabresa, que deu uma ardidinha gostosa ao antepasto.

Ingredientes

6 Pimentões vermelhos
1 dente de alho picado
1 colher de sopa de alga wakame
Alga kombu, aproximadamente 20 cm
½ colher de chá de pimenta calabresa
Azeite (aprox ½ xic)

Modo de fazer

Pique o pimentão e bata no liquidificador com a pimenta calabresa e um pouco de azeite. Cozinhe o molho na panela de pressão por 20 min (contando após começar a pressão) ou por 3h em uma panela de fundo grosso.

Pique a alga wakame e misture ao molho de pimentões junto com a kombu inteira.

Doure o dente de alho no azeite. Coloque todo o molho e apure no fogo por 30 minutos ou até desgrudar da panela, igual ponto de brigadeiro. Retire a alga kombu e descarte. Acerte o sal e a pimenta. Sirva com pão de casca dura, como o italiano.

*Marina Kawata é jornalista e especializada em gestão de empresas, mas é na cozinha que encontrou sua paixão. É vegetariana e acredita que a alimentação saudável é a chave para a saúde, desde que a comida seja gostosa!